A empresa namoro

Luciana Gimenez abriu o jogo com seus seguidores e revelou que não está mais solteira. A apresentadora da Rede TV respondeu as dúvidas de seus seguidores em uma rodada de perguntas na madrugada dessa quinta-feira (06.08). Sem dar muitos detalhes, ela confirmou que está vivendo um romance. O eleito da apresentadora é o empresário Eduardo […] Toda grande empresa necessita fazer um planejamento para alcançar seus objetivos, assim também é no namoro. É preciso que você, junto com seu par, planeje as coisas que vocês pretendem alcançar juntos, tanto as de curto prazo, como as de longo prazo, tendo em vista que há dois tipos de planejamento a se fazer, tais são eles: Demissão por namoro no trabalho 1. Demissão por namoro no trabalho Flavio Farah* Introdução A empresa Lojas Renner foi condenada pelo TST – Tribunal Superior do Trabalho – a pagar uma indenização de R$ 39 mil por danos morais a um ex-empregado que foi dispensado por justa causa por namorar uma colega de trabalho.1 Com 25 anos de empresa, o trabalhador foi demitido por manter um ... ParPerfeito - Namoro, Relacionamento, Amizade, Bate Papo, Chat e Encontros for iPhone Free Parperfeito Comunicacao SA iOS Version 5.0.5 Full Specs Visit Site External Download Site Permaneçam profissionais dentro da empresa. Independentemente de uma política de namoro na empresa, aprendam a serem discretos. Que as demonstrações públicas e calorosas fiquem para as horas de lazer. Isso mostra à gestão que eles não têm nada com o que se preocupar durante o expediente — e horas extras. Atenção à ética e bom senso 23/mar/2019 - Explore a pasta 'Pedido de namoro' de Isabela Bolzon da Rosa no Pinterest. Veja mais ideias sobre Pedido de namoro, Ideias românticas, Surpresas para namorado. Como Lidar com um Ex Namorado Que Trabalha na Mesma Empresa que Você. Isso é para quem já namorou alguém do trabalho, teve um relacionamento e depois terminou com ele/ela, e ainda precisa trabalhar com essa pessoa. Este artigo irá te... 11/mai/2019 - Explore a pasta 'pedidos de namoro' de Ana no Pinterest. Veja mais ideias sobre Surpresas para namorado, Pedido de namoro, Ideias românticas. Posts sobre namoro na empresa escritos por liviatoledo. Quem trabalha sabe o quanto é desgastante ficar de 8 à 12 horas trabalhando. É muito tempo se pensarmos que os trabalhadores ficam três horas na empresa para cada uma hora fora dela. Empresa cria app de namoro para proprietários de modelos da Tesla . Tesla Dating app Imagem: Divulgação. 00:00. Do UOL. Em São Paulo (SP) 21/08/2020 10h07 . Uma empresa canadense está desenvolvendo um aplicativo bastante interessante para os proprietários e entusiastas de Tesla que estão solteiros. Para quem gosta realmente de tecnologia ...

Quem já esteve numa espiral de azar e merda?

2020.09.24 18:33 plotino_ Quem já esteve numa espiral de azar e merda?

Já aconteceu com todos. Com uns mais que outros. Sempre há aqueles momentos na vida em que você padece uma sucessão de infortúnios inesperados. Com isso, chega a pensar que há uma força maior atuando sobre você.
Recentemente terminei um namoro. Tive que me virar para ajudar minha mãe com 2 mil reais em virtude de dívidas com o INSS. Caí de moto e paguei o conserto. Além do mais, minha internet deu problema e estou há dias sem atendimento. Com raiva da empresa, liguei para cancelar e agora tive que migrar para outra cujo plano e é mais caro. Meu telefone não tem um ano e tá dando dando um problema. E para piorar conheci uma ficante e quando fomos fazer sexo por algum motivo eu rompi uma vaso do penis e jorrei sangue pelo chão numa espiral de horror, culpa e medo.
Às vezes o mundo vem como um trem bala pra te foder.
submitted by plotino_ to desabafos [link] [comments]


2020.09.12 01:27 sheisice Crise existencial? Qual o sentido da vida?

Estou a escrever este desabafo novamente porque ontem o apaguei sem querer. Há uns dois dias sai com duas amigas minhas e antes que digam que não respeitei a quarentena, moro em Portugal, onde a quarentena acabou há meses. Continuando...
A maioria dos meus amigos já trabalha ou estuda na faculdade enquanto que eu, por ter 'acabado' a escola mais tarde, não faço nem um nem outro. Pretendo começar a trabalhar ainda este ano mas esse não é o tema deste desabafo. É frustrante para mim saber que não posso compartilhar experiências parecidas com as dos meus amigos pois parece que estamos em fases diferentes de vida mesmo com a mesma idade. Sei que este ano não vou poder entrar na faculdade e que provavelmente no próximo ano será a mesma coisa mas mesmo que entrasse, acho que a faculdade já não teria o mesmo significado para mim como antes. E sim, eu sei que a vida não se resume em fazer um curso, trabalhar para construir uma família, apesar da nossa sociedade ver isso como o básico para uma pessoa ser minimamente feliz.
Então quando saí com as minhas amigas, o que deveria ser um encontro alegre tornou-se sufocante.
Elas as duas estudam o mesmo curso mas em faculdades diferentes, ambas acabaram o primeiro ano e claro que ficaram muito entusiasmadas em compartilhar isso comigo. Eu fiquei feliz por elas. No entanto, 90% da conversa que tivemos foi sobre o curso delas(não estou a brincar quando digo isso) e foi ai que comecei a desejar voltar para casa. Não queria sentir inveja ou algo do tipo mas também não queria ficar aquele tempo todo a falar só de faculdade quando elas mesmas estavam de férias! Eu pedi para falarmos de outros temas além do curso delas e elas concordaram. Falamos um pouco sobre o que cada uma fez durante estes meses e claro que elas tinham novidades para contar (namoro, passeios, a vida dos nossos amigos, etc) enquanto que eu não tinha nada de emocionante para contar pois passei praticamente estes meses em casa, mesmo quando a quarentena acabou aqui em Portugal.
A conversa continuou e uma das minhas amigas que tem o costume de interromper a conversa para falar dela mesma, não parava de nos interromper. Tivemos até que lhe explicar que ela estava a interromper e ela pediu desculpa. Ela costuma fazer isso mas não o faz com arrogância, apenas fica muito entusiasmada. Todos temos defeitos, né? Então quando essa minha amiga recebeu uma chamada, a minha outra amiga começou a falar comigo e foi ai que eu comecei verdadeiramente a falar, sem frases soltas ou monossílabos. Até a minha amiga comentou isso, que enquanto a outra falava por chamada, eu comecei a falar.
Durante a conversa, comentei sobre ter pensado no verdadeiro sentido da vida pois passei estes meses a me questionar muito sobre isso. E quando elas me perguntaram qual era o sentido da vida para mim eu respondi algo como "O sentido da vida para mim? Acho que é sobreviver!". A frase soou deprimente pois as repostas delas em relação à pergunta foram muito mais interessantes e cheias de sonhos como "acabar a faculdade ou marcar a diferença ajudando alguém e bla bla". E mais uma vez senti-me uma idiota.
Elas voltaram a puxar o assunto faculdade, começaram a falar sobre as matérias do curso que eu não entendia nada mas sorria e fingia adorar ouvir tudo. Elas se aperceberam que estavam a falar demais sobre isso e pediram-me desculpas mas sempre voltavam para o mesmo. Algumas vezes ainda tentavam que eu falasse sobre outras coisas mas eu não tinha nada de interessante para dizer. Comecei a desejar que o dia acabasse logo e felizmente uma delas disse que tinha que ir para casa e eu aproveitei para também sair dali.
Quando cheguei a casa chorei. Sentia-me uma falhada e vazia por dentro. Percebi que a minha vida está parada, fechada numa bolha, porque eu não faço nada para mudar isso, simplesmente fico no conformismo. Quero emoção, algo novo na minha vida mas estou cansada de viver. Quero pessoas verdadeiramente interessadas em me conhecer profundamente pois sinto que a maioria que me cerca não quer saber de mim de verdade, talvez me achem muito burra ou apenas apagada...Mas como posso querer que me conheçam profundamente quando nem eu faço esse esforço por mim mesma? Será que devo mesmo me esforçar mesmo sabendo que não valerá mais a pena pois vou morrer um dia?
E não, não me vou suicidar. Apenas estou cansada. Sinto que a vida não tem significado. Fazer x cursos, ser dono de uma empresa ou construir uma família. Tudo isso um dia vai acabar quando a morte chegar e eu só quero que ela chegue. Sei que estou numa crise existencial a encaminhar para uma depressão. Sei também que este texto ridículo não me vai levar a lado nenhum mas estou cansada. Só quero perceber o sentido de colocar vida na terra para depois sofrermos. Pessoas vivem com a dor e falta de itens básicos na vida enquanto que eu, com os pais vivos, um teto e amigos, sinto-me vazia, estranha...
Qual seria o sentido da vida se não sobreviver? Os últimos meses foram intensos para todos nós e isso só me fez ver que não tem necessidade nenhuma estarmos vivos. As pessoas sofrem, uns mais que outras. É inevitável. Estou cansada de ver tanto sofrimento para depois saber que vamos todos morrer.
O mais engraçado nisto tudo é que eu faço parte daquele grupinho de pessoas que acredita em vidas passadas (sim, não me julguem). Então, sendo eu uma pessoa que acredita no reencarne e desencarne, devia saber que a vida apesar de efêmera, terá continuidade noutra vida e que não estamos aqui nesta vida por acaso. Só que ultimamente esse pensamento criou-me mais incertezas do que certezas. Porque se de facto vidas passadas existem, eu não quero reencarnar novamente. A vida já é tão exaustiva para reencarnar novamente...
É isso. Eu não quero tirar a minha vida, apenas quero que a vida me tire dela.
Enfim, obrigada se chegaram até aqui. Peço desculpas pelo desabafo cheio de contradições e erros ortográficos. Se quiserem dizer algo, fiquem à vontade!
submitted by sheisice to desabafos [link] [comments]


2020.09.06 14:17 DemonFranco É possível mesmo duas pessoas se relacionarem de forma PURAMENTE sincera?

Até os 18 anos (hoje tenho 22) eu fui extremamente introvertido, com pouquíssimo contato com a realidade do mundo. Desde moleque desenvolvi uma vontade muito forte de ter aquele clássico relacionamento vitalício (não perfeito, mas no mínimo sincero e recíproco) que se vê em filmes de romance ou animes tipo Naruto. Na verdade, lá no fundo, ainda tenho essa vontade. Mas essa vontade foi minha perdição, pois dediquei demais à pessoas que não estavam dispostas a fazer 5% do que eu estava.
A primeira decepção foi com, claro, meu primeiro amor: nunca amei tanto alguém como amei aquela garota. Fiz de tudo pra me aproximar dela, fui até em sua casa pedi-la em namoro, e o pior é que ela aceitou sem me desejar. Passamos 2 anos nos "relacionando" sem um abraço sequer e com conversas vazias, até chegar o dia em que ela decidiu ser sincera (hoje eu vejo que tudo era bem óbvio, mas minha introversão tinha me tornado muito inocente). Logo depois arrumei uma webnamorada, com quem namorei por foto e vídeo até conseguir um emprego aos 19 e conseguir visitá-la: perdi 4 dias de trabalho sem atestado, quase fui demitido e viajei SOZINHO pra São Paulo mesmo sendo que não saía pra jogar bola na rua. Finalmente, então, perdi meu bv e minha virgindade. Apesar de que voltei pra casa feliz e realizado com a nova etapa do relacionamento, a mesma terminou comigo uma semana depois, com desprezo e raiva em suas palavras e até hoje não entendo porquê. Vida que segue, comecei a me socializar mais, ir em festas, conhecer novas pessoas, e na própria empresa em que eu trabalhava conheci uma garota que me admirava por minha espontaneidade. Ela também era muito introvertida, vem de uma família evangélica extremamente violenta e ríspida, então eu senti que poderia "salvá-la" mostrando os prazeres do mundo fora da caixa do preconceito. Sempre deixei claro a ela que gosto de tudo o que o cristianismo lhe ensinou a fugir: bruxaria, cannabis, liberdade de expressão, etc. Logo, desde o início estávamos cientes de que nada seria fácil, mas eu estava disposto a enfrentar tudo aquilo e muito mais, inocentemente acreditando que isso a inspiraria a fazer coisas parecidas por mim. Engoli muitos absurdos retrógrados vindo de sua família e fingi com todas as minhas forças ser alguém que não sou (algo que desprezo e talvez não tenha feito muito bem), resistindo por "Só mais alguns anos, e vamos sair daqui". Bom, acontece que todos os meus estímulos liberais incentivaram ela a descobrir que é lésbica - e por mim tudo bem, de verdade. O problema foi que ela omitiu isso até o último dia, fingindo estar tudo bem e ainda alimentando nossos projetos futuros. No dia do término, eu fui em sua casa porque ela estava estressada, na intenção de melhorar o mínimo que fosse do seu dia. Ela me deixou ir embora pra terminar por mensagem do Facebook de sua mãe; insisti pra ela pelo menos falar o que tinha pra falar me olhando nos olhos, mas ela me tratou como se fosse um qualquer e realmente não queria nunca mais me ver.
Até então essa é minha história amorosa, mas eu também contei demais com amizades e todas (exceto uma) me decepcionaram. Comecei minha vida social com dois de meus primos (um deles é a mencionada exceção), mas o outro simplesmente se afastou de nós sem razão aparente - isso foi frustrante pra mim porque eu gosto muito dele e de seu irmão, mas nunca foi recíproco. Depois disso conheci o cara mais problemático que já passou na minha vida: 100% egomaníaco, repleto de defeitos gritantes que qualquer um com um pouco de amor próprio não investiria sua saúde mental para suportar. Mas eu, trouxa, fui diferente. Aguentei todos os seus absurdos, surtos sem sentido, falso senso de superioridade, ego frágil e invejoso, ciúmes até da minha ex (sim, hoje eu sei que ele gostava de mim mais que como amigo), enquanto via seus outros conhecidos pouco a pouco se afastarem dele. Ele foi o primeiro """""bruxo"""""" (entre muitas aspas porque a prole só sabia o que tinha pesquisado no Google e lido em revistas de banca) que conheci e, como eu valorizo muito conhecimento esotérico e não sabia de nada quando o conheci, confiei em todas as suas palavras e atitudes. E continuaria assim, se ele não tivesse tentado me agarrar enquanto fingia estar incorporando minha deusa-mãe. Na cabeça dele era um pretexto perfeito, já que essa mesma deusa está relacionada ao sexo e eu sou bi. Mas, sério, nunca vi alguém com tanto sex appeal negativo quanto esse cara. Simplesmente parei de conversar com ele, não dei satisfação alguma porque ele sabe muito bem o que aconteceu. Mas seu ego frágil não deixou isso barato: hoje eu passo na rua e todos os amigos que tínhamos em comum nem me cumprimentam mais, e de longe olham torto ou fingem que não me viram. Coincidência? Acho que não. Agora, em tempos de quarentena que está ainda mais difícil conhecer pessoas novas e criar qualquer tipo de relacionamento (como se já não fosse um desafio pra alguém que cresceu introvertido), me sinto sozinho e essa infelizmente é a melhor opção pro momento. Mas eu não quero deixar minha vontade morrer: quero de verdade dividir uma vida com alguém, compartilhar histórias que só nós vivemos, entender o que ela pensa só de olhar nos olhos. Isso é utópico demais? Será que ainda tô vivendo nos meus 17 anos?
submitted by DemonFranco to desabafos [link] [comments]


2020.08.17 03:39 Carlos-Lock Estou buscando forças pois sinceramente eu não aguento mais nada.

Tenho 18 anos,Eu sinto como se minha vida estivesse caminhando pra solidão eterna, embora tenha amigos não sinto como se compadecessem da minha dor e da minha angústia,muitos que um dia foram meus amigos sequer lembram da minha existência, quando eu os procuro fingem que não existo, desde que optei por terminar meu namoro aos 17 anos com uma garota que eu amava bastante, unicamente pra poder estudar e me dedicar mais nos estudos e na escola, eu venho sofrido bastante com as consequências dessa escolha, assim eu me encontro num loop de dias que me causam um desconforto imenso, consegui a aprovação nas faculdades que almejava, consegui estudar um período mas tranquei por conta do a pandemia do COVID-19, estou trabalhando administrando a empresa da família, e dia após dia eu percebo como minha vida é sem luz e sem amor de fato, não sinto como se fizesse parte de algo, sinto que estou numa maré de azar que não tem fim, meus projetos não resultam em nada, não consigo ter empatia por mim mesmo. Por conta desses problemas eu temo me tornar alguém podre e vazio por dentro, pois não sou assim, já fui feliz e cheio de alegria, mas agora eu tenho uma visão podre de mim mesmo, me sinto totalmente abalado pela solidão,esses dias mandei uma amiga de longa data ir pro inferno, depois me senti imensamente amargurado e triste, mas sem deixar transparecer, pedi desculpas mas não resultou em nada, mas pra mim sempre é assim mesmo, sempre que erro sou um ser desprezível, quando erram comigo estou sempre do lado do perdão. Depois de Séculos de solidão, me senti com a boa auto estima pra postar algumas fotos em variadas redes sociais, e de fato notei que amadurecer acompanha uma dose de beleza, não me considero um homem atraente, eu me julgo mais pela personalidade, de fato eu notei que uma garota bastante bonita havia me colocado nos seus melhores amigos, tive a atitude de falar com ela e ela deixou claro o interesse, me senti especial por um momento, por um momento a vida me pareceu menos cheia de desgraças, após minha família inteira se separar por questões de confiança e morais, meu ingresso na faculdade federal não ser sucedido pelo fato deu não possuir título de eleitor, depois de anos sem um contato sequer com meu pai, sem apoio emocional ja que minha mãe constantemente viaja á trabalho; talvez fazer amizade com alguém depois de muito tempo não iria ser algo péssimo né. Depois de alguns dias conversando e marcando de se encontrar,ela me surpreende com a notícia de que havia ficado com alguém e agora não tinha mais certeza se de fato queria algo comigo (acredite eu ainda estou sendo gentil em falar assim), e eu me peguei no bauque, puxei o ar e disse : Não tem problema,acontece. Agradeci pela gentileza de ser gentil e sincera,seria muito melhor do que me enganar, me afoguei no alcool de certa forma que acordei no dia seguinte. e ai me vi no ciclo novamente, trabalho e casa, no meu pequeno universo melancólico e solitário.
submitted by Carlos-Lock to desabafos [link] [comments]


2020.08.01 01:40 SnooDonkeys6386 Me ajudem aqui com minha situação por favor kkk

Pessoal, vou escrever aqui no anonimato pq tenho um pouco de vergonha disso e ainda não sei como lidar com algumas coisas.
Eu namoro um cara quase um ano já, e tenho muito ciumes dele, parece que eu não supero as mina que ele ficou, pq ele mantem contato com elas (talvez seja falta de maturidade minha :/ não tenho certeza. ) que ele fico me comparando, me sentindo diminuida mesmo ele sempre me ajudando e me botando pra cima e me apoiando em tudo, e eu sou muito ciumenta mesmo, tento lidar com isso e quero muito que esse sentimento horrivel passe, tem umas situações que eu não sei como agir, não sei se sinto ciumes por besteira, não sei se to certa ou to paranóica.
Teve essa situação que aconteceu esses tempos, meu namorado precisava de um teclado, o dele quebrou e era da empresa, ai ele ia pegar emprestado de uma mina que trabalha com ele que ele já ficou, e ela ainda se apaixonou por ele (isso tudo aconteceu bem na época do começo do nosso namoro, ele me contou tudo ) ai ele perguntou se eu gostaria que ele não fosse por que ele viu que eu fiquei mel bad e tal mesmo ele falando que era só um teclado, ele teria que ver a mina que nem conversava e eu não vi motivo pra ele falar com ela e pegar emprestado JUSTAMENTE dela (ela é a pessoa mais próxima dele que teria um teclado pra emprestar, trabalham na mesma empresa e tal). É essa a minha dúvida, eu não sei se o que eu fiz foi certo, acho que só fui sincera com ele sobre como eu me sentia em relação ao que ele ia fazer mas eu fico me questionando se não to errada
Bom é isso, as vezes tenho umas situações assim, não querendo que ele tenha contato com as meninas que ele pegava antes e realmente morro de ciumes e nao vejo motivo mesmo sendo passado pq volta e meia vem mina mandando DM pra ele falando que ta com saudades e tal e as vezes ele nem responde elas, da parte dele eu sei que não vem nada, mas as mina que ele pegava antes ainda querem (ou pelo menos isso ta na minha cabeça não sei).
Não sei se isso tudo pareceu bobo, pouca maturidade, mas eu realmente to querendo sempre lidar com isso melhor querendo muito me importar menos com esse tipo de coisa chata.

e se forpra continuar falando tenho muitas duvidas ainda que mds mas por hj ta bom
submitted by SnooDonkeys6386 to desabafos [link] [comments]


2020.08.01 01:24 SnooDonkeys6386 Me ajudem aqui rapidão com meus ciúmes por favor, pra ver se sou doida ou certa não sei kkkk :s

Pessoal, vou escrever aqui no anonimato pq tenho um pouco de vergonha disso e ainda não sei como lidar com algumas coisas.
Eu namoro um cara quase um ano já, e tenho muito ciumes dele, parece que eu não supero as mina que ele ficou, pq ele mantem contato com elas sem intenção nenhuma (talvez seja falta de maturidade minha :/ não tenho certeza. ) e eu fico me comparando, me sentindo diminuida mesmo ele sempre me ajudando e me botando pra cima e me apoiando em tudo, e eu sou muito ciumenta mesmo, tento lidar com isso e quero muito que esse sentimento horrivel passe, tem umas situações que eu não sei como agir, não sei se sinto ciumes por besteira, não sei se to certa ou to paranóica. Eu também sou muito insegura mesmo ele sempre me botando pra cima.
Teve essa situação que aconteceu esses tempos, meu namorado precisava de um teclado, o dele quebrou e era da empresa, ai ele ia pegar emprestado de uma mina que trabalha com ele que ele já ficou, e ela ainda se apaixonou por ele (isso tudo aconteceu bem na época do começo do nosso namoro, ele me contou tudo ) ai ele perguntou se eu gostaria que ele não fosse por que ele viu que eu fiquei mel bad e tal mesmo ele falando que era só um teclado, ele teria que ver a mina que nem conversava e eu não vi motivo pra ele falar com ela e pegar emprestado JUSTAMENTE dela (ela é a pessoa mais próxima dele que teria um teclado pra emprestar, trabalham na mesma empresa e tal). É essa a minha dúvida, eu não sei se o que eu fiz foi certo, acho que só fui sincera com ele sobre como eu me sentia em relação ao que ele ia fazer mas eu fico me questionando se não to errada
Bom é isso, as vezes tenho umas situações assim, não querendo que ele tenha contato com as meninas que ele pegava antes e realmente morro de ciumes e nao vejo motivo mesmo sendo passado pq volta e meia vem mina mandando DM pra ele falando que ta com saudades e tal e as vezes ele nem responde elas, da parte dele eu sei que não vem nada, mas as mina que ele pegava antes ainda querem (ou pelo menos isso ta na minha cabeça não sei).
Não sei se isso tudo pareceu bobo, pouca maturidade, mas eu realmente to querendo sempre lidar com isso melhor querendo muito me importar menos com esse tipo de coisa chata
submitted by SnooDonkeys6386 to relacionamentos [link] [comments]


2020.07.29 20:42 AlvagorH Meus pais acham que eu sou gay

(Postei primeiro no desabafos, mas resolvi postar aqui também)
O relato pode ser um pouco longo, mas talvez seja engraçado (ou não).
Pois bem... senta que lá vem história.
Eu sou homem (ah vá), e desde sempre fui muito "sossegado". Não costumo ir pra festas, não bebo, não fumo. Sou bem caseiro e não sou de falar muito. Fui beijar uma menina pela primeira vez (e única desde então), aos 16, quase 17 (vou completar 21 muito em breve). Meus pais ficaram sabendo logo de cara, pois eu virei notícia na escola. O nerdão quieto e ranzinza da sala "pegando" a novinha da outra sala (ela era de um ano anterior ao que eu estava). Uma prima fofoqueira estudava na mesma sala que eu, então a notícia chegou em casa antes de mim.
Até então, eu nunca tinha notado nada de estranho nos meus pais. Eu notava alguns comentários homofóbicos deles as vezes, quando aparecia alguma notícia na televisão. "Ator famoso se declara gay", aí minha mãe "Nossa, que dó. Um homem tão bonito desses ser gay". Ou, no caso do meu pai "Eu tinha um professor que era bicha, mas era muito competente ensinando". Nessa época eu não ligava muito, pois até meados dos meus 14 anos (quando entrei no ensino médio em outra escola e em outra cidade), eu só conhecia duas pessoas que eram homossexuais e assumiam, e eu não gostava deles.
Eram dois caras muito barraqueiros e barulhentos, que zoam todo mundo. Basicamente, é o tipo de comportamento que eu sempre preferi evitar. Eu sou bastante tímido, então ter amigos próximos que chamem a atenção sempre foi bastante negativo pra mim. Logo, durante um bom tempo eu fiz a associação idiota "gays = chatos e barulhentos" e passei a evitar eles. Isso mudou bastante quando eu mudei de escola, onde as pessoas tinham valores bastante diferentes do qual eu estava acostumado. Foi um processo longo, mas o preconceito que eu tinha foi diminuindo aos poucos. Mais ou menos nessa época do ensino médio, eu comecei a me incomodar com os comentários dos meus pais, mas sempre ficava na minha para não causar confusão.
Voltando ao dia que eu perdi o BV. Bom, eu era um adolescente com muita testosterona sobrando e beijei uma menina e pude apalpar uma bunda diferente da minha sem tomar um tapão na cara. Até então, tava tudo indo muito bem. Eu era bastante amigo dessa pessoa antes de ficarmos, então eu já gostava bastante dela e me iludi muito com o rumo das coisas. Pensei que daria certo, que começaríamos a namorar e tal. Até sobre o nome de cachorros a gente falava hahahah.
Mas, a guria tinha outros planos, tava apenas curtindo o momento e logo passou pra outra. Durou um mês e meio ou dois. Então, após um ""chifre"" colossal, já que ela ficou com o ex e passou o rodo na escola ao mesmo tempo em que ficava comigo, a gente parou de se falar. De um jeito imaturo, talvez, pois eu juntei todas as minhas frustrações e joguei na cabeça dela, sendo que ela já havia deixado claro que a gente não tinha nada sério e eu continuava insistindo.
É claro que, graças a minha querida prima fofoqueira, meus pais souberam que eu e a fulaninha não estávamos mais nos falando, e mesmo assim perguntavam sobre ela em toda oportunidade que tinham. Nisso, eu ouvi alguns comentários estranhos da minha mãe, ela dizia que na escola onde eu estava tinham muitas pessoas que namoravam gente do mesmo sexo e eu tinha que tomar cuidado. Eu estranhei, mas como sou lerdo, não entendi na hora, e resolvi conversar sobre isso com um amigo.
Quando eu percebi que as coisas não estavam indo bem (ainda durante aquele mês e meio), eu usava bastante as redes sociais e conheci um cara que aguentou meus desabafos por bastante tempo, sempre me dando conselhos (e umas broncas haha). Eu comentei sobre a fala da minha mãe com ele e ele respondeu "Menino, a sua mãe acha que você é gay". Eu comecei a rir horrores naquela hora, mas também fiquei bastante inconformado. Eu me perguntava "Por que?". Não que isso me afetasse, eu sempre achei graça e vez ou outra eu conto esse fato pra algum amigo. Sempre ficou a incógnita sobre o porque que os meus pais pensavam isso, e ela ainda existe porque recentemente um cara demorou para acreditar que eu não sou gay, e eu e uma amiga rimos muito dessa situação.
Esse amigo que aguentava meus desabafos é gay. É o primeiro amigo homossexual que eu tive e a primeira pessoa sobre quem eu conversei abertamente sobre sexualidade. Ele é bastante interessado por ciência e psicologia, assim como eu, e me ensinou não só o lado social (a experiência dele sendo gay, descobrindo que gostava de homens e toda a confusão que isso gerou na sua infância/adolescência), como o lado científico da coisa, Escala de Kinsey, Freud e afins. Nessas conversas, eu tive a certeza de que sou hétero, mas acabo não me comportando como é esperado de um.
Tenho muitos primos na casa dos 20, quase todos namorando e alguns morando junto e quase casando com alguém. Vão pra festas, bebem, fumam, dão dor de cabeça pra família. As vezes um namoro termina e sempre aparece um agregado novo depois de um tempo, em média eu tenho um "primo" ou "prima" nova por um ano e meio, no máximo dois. Aí, passa alguns meses e o ciclo se repete.
E eu aqui, o primo solteiro que estuda e não traz menina nenhuma pra casa (salvo em raras ocasiões quando a minha melhor amiga aparece aqui) nem nas reuniões de família. O primo estranho que compartilha muitos posts pró-feminismo e contra homofobia. Cansei de ouvir perguntas sobre namoradas vindo de tios e até da minha avó materna.
Acho que algumas pessoas até pensam que eu escondo alguma coisa dos meus pais. Uma vez eu fui em um churrasco na casa de um amigo e a mãe dele me pediu ajuda para fazer uma mistureba alcoólica qualquer, eu disse que não sabia como fazer e ela não acreditou. Meu amigo precisou ser "testemunha" de que eu não bebo nada e que estava lá só pelo churrasco mesmo hahahaha
E aqui, temos duas cerejas nesse bolo.
A primeira é que o meu melhor amigo, o qual eu conheço desde a segunda série, há pelo menos 14 anos, começou a trabalhar na mesma empresa que a minha mãe. Ele é uma pessoa que eu costumo passar bastante tempo junto, já que nós fazemos trilhas de bike (ou fazíamos, antes da pandemia começar). Como a minha cidade tem grandes áreas verdes, essas trilhas demoram porque a gente sempre tenta explorar um caminho novo. Enfim, durante o trabalho dele, por algum motivo surgiu o boato de que ele é gay. Eu não sei nada sobre isso, ele próprio nunca me disse nada, e nós conversamos sobre muita coisa. Mas a minha mãe veio correndo me contar quando esse boato surgiu. Ela deve ter "adorado" somar 1+1 nessa ocasião.
A outra é meu pai. Tão preocupado em fazer comentários e cuidar da sexualidade dos outros, adorador do capitão cloroquina, e outro dia eu precisei fazer algo no celular dele e percebi que tinha uma aba aberta naquele site com X, e na barra de pesquisas estava escrito, adivinhem? "Bicha" hahahahahaha
Bom, como eu disse, não me incomoda o fato de acharem que eu sou gay. Não faz diferença nenhuma pra mim, na verdade, eu faço piada com isso e boa. O que me afeta nessa história é que eu tenho agora muitos amigos que são "Do Vale" e eu sinto que nunca vou poder convidar eles para me visitar aqui em casa. Tenho medo que ouçam alguma merda aqui.
Enfim, é isso. A quarentena está me fazendo sentir a necessidade de desabafar sobre alguns assuntos e esse foi um deles. Obrigado por ler até o final.
submitted by AlvagorH to sexualidade [link] [comments]


2020.07.29 20:24 AlvagorH Meus pais acham que eu sou gay

O relato pode ser um pouco longo, mas talvez seja engraçado (ou não).
Pois bem... senta que lá vem história.
Eu sou homem (ah vá), e desde sempre fui muito "sossegado". Não costumo ir pra festas, não bebo, não fumo. Sou bem caseiro e não sou de falar muito. Fui beijar uma menina pela primeira vez (e única desde então), aos 16, quase 17 (vou completar 21 muito em breve). Meus pais ficaram sabendo logo de cara, pois eu virei notícia na escola. O nerdão quieto e ranzinza da sala "pegando" a novinha da outra sala (ela era de um ano anterior ao que eu estava). Uma prima fofoqueira estudava na mesma sala que eu, então a notícia chegou em casa antes de mim.
Até então, eu nunca tinha notado nada de estranho nos meus pais. Eu notava alguns comentários homofóbicos deles as vezes, quando aparecia alguma notícia na televisão. "Ator famoso se declara gay", aí minha mãe "Nossa, que dó. Um homem tão bonito desses ser gay". Ou, no caso do meu pai "Eu tinha um professor que era bicha, mas era muito competente ensinando". Nessa época eu não ligava muito, pois até meados dos meus 14 anos (quando entrei no ensino médio em outra escola e em outra cidade), eu só conhecia duas pessoas que eram homossexuais e assumiam, e eu não gostava deles.
Eram dois caras muito barraqueiros e barulhentos, que zoam todo mundo. Basicamente, é o tipo de comportamento que eu sempre preferi evitar. Eu sou bastante tímido, então ter amigos próximos que chamem a atenção sempre foi bastante negativo pra mim. Logo, durante um bom tempo eu fiz a associação idiota "gays = chatos e barulhentos" e passei a evitar eles. Isso mudou bastante quando eu mudei de escola, onde as pessoas tinham valores bastante diferentes do qual eu estava acostumado. Foi um processo longo, mas o preconceito que eu tinha foi diminuindo aos poucos. Mais ou menos nessa época do ensino médio, eu comecei a me incomodar com os comentários dos meus pais, mas sempre ficava na minha para não causar confusão.
Voltando ao dia que eu perdi o BV. Bom, eu era um adolescente com muita testosterona sobrando e beijei uma menina e pude apalpar uma bunda diferente da minha sem tomar um tapão na cara. Até então, tava tudo indo muito bem. Eu era bastante amigo dessa pessoa antes de ficarmos, então eu já gostava bastante dela e me iludi muito com o rumo das coisas. Pensei que daria certo, que começaríamos a namorar e tal. Até sobre o nome de cachorros a gente falava hahahah.
Mas, a guria tinha outros planos, tava apenas curtindo o momento e logo passou pra outra. Durou um mês e meio ou dois. Então, após um ""chifre"" colossal, já que ela ficou com o ex e passou o rodo na escola ao mesmo tempo em que ficava comigo, a gente parou de se falar. De um jeito imaturo, talvez, pois eu juntei todas as minhas frustrações e joguei na cabeça dela, sendo que ela já havia deixado claro que a gente não tinha nada sério e eu continuava insistindo.
É claro que, graças a minha querida prima fofoqueira, meus pais souberam que eu e a fulaninha não estávamos mais nos falando, e mesmo assim perguntavam sobre ela em toda oportunidade que tinham. Nisso, eu ouvi alguns comentários estranhos da minha mãe, ela dizia que na escola onde eu estava tinham muitas pessoas que namoravam gente do mesmo sexo e eu tinha que tomar cuidado. Eu estranhei, mas como sou lerdo, não entendi na hora, e resolvi conversar sobre isso com um amigo.

Quando eu percebi que as coisas não estavam indo bem (ainda durante aquele mês e meio), eu usava bastante as redes sociais e conheci um cara que aguentou meus desabafos por bastante tempo, sempre me dando conselhos (e umas broncas haha). Eu comentei sobre a fala da minha mãe com ele e ele respondeu "Menino, a sua mãe acha que você é gay". Eu comecei a rir horrores naquela hora, mas também fiquei bastante inconformado. Eu me perguntava "Por que?". Não que isso me afetasse, eu sempre achei graça e vez ou outra eu conto esse fato pra algum amigo. Sempre ficou a incógnita sobre o porque que os meus pais pensavam isso, e ela ainda existe porque recentemente um cara demorou para acreditar que eu não sou gay, e eu e uma amiga rimos muito dessa situação.
Esse amigo que aguentava meus desabafos é gay. É o primeiro amigo homossexual que eu tive e a primeira pessoa sobre quem eu conversei abertamente sobre sexualidade. Ele é bastante interessado por ciência e psicologia, assim como eu, e me ensinou não só o lado social (a experiência dele sendo gay, descobrindo que gostava de homens e toda a confusão que isso gerou na sua infância/adolescência), como o lado científico da coisa, Escala de Kinsey, Freud e afins. Nessas conversas, eu tive a certeza de que sou hétero, mas acabo não me comportando como é esperado de um.
Tenho muitos primos na casa dos 20, quase todos namorando e alguns morando junto e quase casando com alguém. Vão pra festas, bebem, fumam, dão dor de cabeça pra família. As vezes um namoro termina e sempre aparece um agregado novo depois de um tempo, em média eu tenho um "primo" ou "prima" nova por um ano e meio, no máximo dois. Aí, passa alguns meses e o ciclo se repete.
E eu aqui, o primo solteiro que estuda e não traz menina nenhuma pra casa (salvo em raras ocasiões quando a minha melhor amiga aparece aqui) nem nas reuniões de família. O primo estranho que compartilha muitos posts pró-feminismo e contra homofobia. Cansei de ouvir perguntas sobre namoradas vindo de tios e até da minha avó materna.
Acho que algumas pessoas até pensam que eu escondo alguma coisa dos meus pais. Uma vez eu fui em um churrasco na casa de um amigo e a mãe dele me pediu ajuda para fazer uma mistureba alcoólica qualquer, eu disse que não sabia como fazer e ela não acreditou. Meu amigo precisou ser "testemunha" de que eu não bebo nada e que estava lá só pelo churrasco mesmo hahahaha
E aqui, temos duas cerejas nesse bolo.

A primeira é que o meu melhor amigo, o qual eu conheço desde a segunda série, há pelo menos 14 anos, começou a trabalhar na mesma empresa que a minha mãe. Ele é uma pessoa que eu costumo passar bastante tempo junto, já que nós fazemos trilhas de bike (ou fazíamos, antes da pandemia começar). Como a minha cidade tem grandes áreas verdes, essas trilhas demoram porque a gente sempre tenta explorar um caminho novo. Enfim, durante o trabalho dele, por algum motivo surgiu o boato de que ele é gay. Eu não sei nada sobre isso, ele próprio nunca me disse nada, e nós conversamos sobre muita coisa. Mas a minha mãe veio correndo me contar quando esse boato surgiu. Ela deve ter "adorado" somar 1+1 nessa ocasião.

A outra é meu pai. Tão preocupado em fazer comentários e cuidar da sexualidade dos outros, adorador do capitão cloroquina, e outro dia eu precisei fazer algo no celular dele e percebi que tinha uma aba aberta naquele site com X, e na barra de pesquisas estava escrito, adivinhem? "Bicha" hahahahahaha

Bom, como eu disse, não me incomoda o fato de acharem que eu sou gay. Não faz diferença nenhuma pra mim, na verdade, eu faço piada com isso e boa. O que me afeta nessa história é que eu tenho agora muitos amigos que são "Do Vale" e eu sinto que nunca vou poder convidar eles para me visitar aqui em casa. Tenho medo que ouçam alguma merda aqui.
Enfim, é isso. A quarentena está me fazendo sentir a necessidade de desabafar sobre alguns assuntos e esse foi um deles. Obrigado por ler até o final.
submitted by AlvagorH to desabafos [link] [comments]


2020.07.16 16:24 fobygrassman SITE DE TRAIÇÃO Nº1 DO BRASIL

SITE DE TRAIÇÃO Nº1 DO BRASIL
Encontre um traidor brasileiro em menos de 2 horas, garantido! Rápido, fácil e grátis
Aprenda a Aproveitar os Melhores Sites de Traição do Brasil De uma dona de casa traidora real.
Quando você está em um site de traição, deseja basicamente quatro coisas:
  1. Discrição
  2. Um grande banco de dados de traidores para escolher
  3. Uma forte presença feminina no site de triação
  4. Facilidade de uso.
Embora muitos sites de triação possam fornecer os itens 1 e 4, o verdadeiro truque é encontrar um site estabelecido e ativo com traidoras reais. Felizmente, Ashley Madison fornece todos os quatro!
Discrição Ashley Madison inovou algumas das melhores ferramentas de discrição conhecidas para sites de traição
Você não precisa confirmar seu e-mail para se inscrever, o que lhe dá uma negação plausível "Querida, alguém deve ter usado meu e-mail para se inscrever"
Você pode usar o assistente de fotos patenteado para tornar suas fotos mais discretas adicionando máscaras, desfoque ou recorte.
Você pode criar uma galeria privada para suas fotos mais arriscadas e conceder e revogar o acesso aos usuários.
Eles têm um botão de pânico. Se você estiver navegando na Ashley Madison e alguém entrar, basta clicar no botão de pânico no canto superior direito e você será imediatamente levado ao Google.com
Cobrança privada. Se você decidir atualizar e tirar proveito de tudo o que Ashley Madison tem a oferecer, pode ter certeza de que o nome "Ashley Madison" não aparecerá em nenhuma fatura ou extrato. Ashley Madison usa uma empresa terceirizada com um nome seguro e despretensioso.
Grande Base de Usuários Ashley Madison foi lançada no Brasil em 2010 e adicionou quase 2.000.000 de traidores brasileiros e espera acrescentar outros 1.000.000 até 2020.
Desde a sua criação, já reuniram mais de 50.000.000 de usuários em todo o mundo. Isso faz da Ashley Madison um dos sites de namoro mais visitados do mundo. Não apenas site de triacao, mas de namoro em geral. Isso permite que você encontre um parceiro para um caso em praticamente qualquer país do mundo. Então, se você estiver viajando ou quiser apenas encontrar um parceiro para um caso virtual da Suécia, América, Colômbia ou Alemanha, poderá fazê-lo no Ashley Madison melhor do que em qualquer outro site de traiçao.
Grande Presença Feminina As mulheres podem participar e usar todos os recursos de Ashley Madison 100% de graça.
Isso ajuda a equilibrar a proporção de homens / mulheres no site.
Enquanto 60% das inscrições no Brasil são homens, apenas 10% dessas inscrições se tornam usuários ativos.
Dos 40% das inscrições femininas, 50% se tornam usuárias ativas porque podem fazê-lo 100% gratuitamente.
Também desde o hack da Ashley Madison em 2015, o governo americano e as autoridades reguladoras exigiram a remoção imediata de todos os "bot" da Ashley Madison como parte de um acordo para continuar as operações nos EUA e no exterior.
Isso fez três coisas: 1. Os usuários podem ter certeza de que não há bots ou usuários falsos
  1. Ashley Madison monitora ativamente o site em busca de fraudes, usuários falsos e bots
  2. Ashley Madison investiu esforço e dinheiro consideráveis na condução de traidoras para o site, ao contrário de muitos outros sites de traição.
Facilidade de Uso TNenhum outro site de traição investiu mais dinheiro e pesquisa em experiências de usuários como Ashley Madison. Você pode esperar a mesma facilidade de uso que o Facebook ou o Badoo na Ashley Madison. Da inscrição à pesquisa, ao bate-papo e ao encontro.
TAshley Madison também é responsiva e funciona igualmente bem no seu dispositivo móvel ou tablet.
TPor todas essas razões e mais, recomendamos a Ashley Madison como nosso site de traição # 1.
TPara obter mais informações sobre como obter sucesso na Ashley Madison, consulte nossas:
Melhores dicas para homens & melhores dicas para mulheres
TIsso certamente dará a você uma vantagem contra a competição e ajudará a encontrar uma traidora em menos de 1 dia.
Experimente Ashley Madison 100% Grátis e Viva com paixão, sem arrependimento!
submitted by fobygrassman to site_de_traicao [link] [comments]


2020.07.15 06:23 DepressiveType Minha Vida Sem League Of Legends.

Há um tempo atrás eu postei aqui nesse sub que eu tinha desinstalado o jogo e agora quero falar os benefícios que isso me causou, já que li que muitos estavam querendo sair dessa vida também.
Em primeiro lugar me sobrou bastante tempo, tempo pra praticar meu hobby, tempo para estudar e ler, tempo para jogar outros jogos. Eu baixei novamente Team Fortress 2 e sou jogador desde 2014 mesmo o jogo tendo seus problemas, eu me divirto realmente mesmo perdendo, mesmo sendo antigo me arranca boas gargalhadas.
Não presencio mais amigos brigando, se matando por causa do jogo, preservei minha amizade em relação a eles, já que o jogo desgasta, podem até falar que não mas sim, o jogo desgasta amizades, namoro (eu não recomendo ninguém a jogar isso em casal); pelo simples motivo que a toxicidade do jogo se espalha de uma maneira agressiva e colossal pra outras áreas em que pessoas estejam jogando juntas.
Não presencio mais palavras destrutivas, pessoas xingando, sendo misóginas, homofóbicas, racistas. Eu saia do league of legends me sentindo mal por esse motivo, você sai do jogo sentindo que as pessoas são um lixo, que tudo é um lixo.
Bom eu tentei ser breve, mas o que eu quero dizer na verdade é: Empresas falam que são a favor de minorias, contra a toxicidade e etc mas isso é um falso ativismo pra ganhar visibilidade em cima de causas legítimas, se uma empresa da respaldo a toxicidade, ao racismo e a misoginia não agindo, não banindo esses jogadores, então de nada vale o ativismo, é algo completamente falso, só pra lucrar em cima. É muito fácil levantar bandeiras, quando a realidade é outra e esse pessoal é protegido por um sistema de report que não funciona, ou que funciona somente em casos extremos.
submitted by DepressiveType to desabafos [link] [comments]


2020.07.11 07:49 espiritossuperiores O relacionamento interpessoal

O relacionamento interpessoal pode ser compreendido como uma área da psicologia e sociologia que estuda a relação de uma ou mais pessoas levando-se em consideração as suas origens, contextos culturais e localização atual dessas pessoas quando se relacionam.
Eu sendo um homossexual que se atrai exclusivamente por heterossexuais, por ser fadado ao eterno desprezo ou no máximo piedade deles, eu acabo impactos negativos nos meus relacionamentos interpessoais que me deixam em desvantagem em muitas situais, creio que os outros gays que sofram do mesmo problema irão aqui identificar os mesmos problemas que eu. Se você quiser que eu acrescente uma situação de relacionamento interpessoal aqui, deixe de forma clara a situação e o impacto que ela causa em sua vida, nos comentários abaixo.

  1. A timidez, muitas vezes estamos em um grupo onde precisamos tomar alguma atitude antes que algo pior nos aconteça, como você é gay e sente que ali ninguém tem afinidade com o tipo de vida que você tem, você acaba se fechando para não constranger aos outros e a si mesmo.
  2. Recalque: você sente muita atração por homens mas os seus colegas só sabem falar de assuntos sexuais inúmeros da farta sexualidade heterossexual deles, aí então quando você fala algo como um comentário elogiando um rapaz no meio da conversa, todo mundo fala em tom de nojo: ” iiih, que papo estranho!”, “sai fora!”, “o papo tá indo pra um lado estranho!”, enfim, todo tipo de desaprovação e ataque sutil psicológico contra você é lançado, fazendo com que você cale e se recalque no que queria falar ou expressar, consequentemente você começa ficar no grupo por obrigação e não por prazer.
  3. Ostracismo: os relacionamentos interpessoais é comum termos eventos onde unam-se pessoas para variados fins lúdicos, um exemplo disso são as festas de final de ano das empresas, nessas o constrangimento é menor pois você é obrigado a ir, agora quando os seus amigos fazem uma festa particular entre eles onde não se envolve a empresa, todos são convocados, menos você por ser diferente, por ser gay, você acaba então se sentido no ostracismo mas finge que tudo está normal com um sorriso amarelo no rosto.
  4. Desafios de carreira: todos nós na vida moderna temos uma série de cobranças de desempenho para atender, todos gerenciam isso com amortecedores psicológicos para deixar a vida menos tensa, heteros são cobrados para irem bem na faculdade, no emprego e em casa, você também, mas os heteros contam com barzinhos como porta de entrada para sexo farto, namoros em todos locais, adultérios e etc, todos remetendo à válvula de escape do sexo desvairado sempre pronto para acontece, você não, você é cobrado das mesmas coisas mas não conta com amortecedor tão forte como o sexo e a paixão correspondida, logo o seu desânimo para fazer as coisas é maior ou o desânimo dá lugar para o ódio e você fica uma pessoa que desempenha tudo com ódio descontado nos outros em suas atividades interpessoais.
  5. Inadequado: Você precisa de uma profissão mas aquela que você acha, exige uniformes ou fardas que lhe fazem se sentir um heterossexual sendo que você não é, aquela profissão lhe forja uma sexualidade que não é sua, consequentemente você acaba atraindo pessoas que não gosta e se sente um peixe fora da água, o que acaba fazendo a sua vida profissional ser tóxica ou curta.
  6. Redes sociais da depressão: você usa as redes sociais de forma intensiva mas percebe que ninguém do sexo pretendido interage com você, mesmo com a sua presença forte nessas redes, você nota que ninguém curte as suas postagens, suas fotos postadas ninguém nem comenta, deixando clara a sua falta de amizades e popularidade baixa a todos, você então se deprime pois ao se comparar com aquela sua amiga mulher repara que qualquer coisa sem valor que ela posta, tem milhares de curtidas e desejos de vida melhor para ela por parte do sexo oposto, você se sente inadequado e acaba excluindo a sua rede social.
  7. Distanciamento social: você percebe que suas brincadeiras são sempre recriminadas ou não entendidas pela maioria dos integrantes do seu grupo, você também nota que as pessoas sempre evitam ficar sozinhas com você em um lugares públicos para evitarem levar ‘má fama’ de terem um caso com você, os seus colegas falam horas e mais horas sobre assuntos que você não entende em sua frente sem constrangimento algum por você não interagir, é o caso do clássico debate futebolístico entre machos onde você fica sempre ‘sobrando’, então cada vez você começa a querer ficar longe das pessoas e romper as poucas ‘amizades’ que tem.
  8. Constrangimento em nome do grupo: hoje em dia as pessoas se sentem muito ofendidas por serem rotuladas de “anti sociais” então para evitarem essa rotulação aceitam qualquer tipo de constrangimento do ‘bom’ relacionamento em grupo ficando horas entre rapazes que ficam falando todos os tipos de coisa ruins contra homossexuais , mulheres e negros, tudo é tolerado e no fim a pessoa se sente horrível moralmente mas com o dever social cumprido.
  9. Repudio à datas comemorativas: você sabe que no meio heterossexual as pessoas usam as datas comemorativas como desculpa para obterem mais divertimentos entre amigos e aumentar as suas possibilidades sexo-afetivas, porem você sabe que quem é gay e gosta de hetero não desfruta das mesmas vantagens, sendo assim, qualquer feriado ou data comemorativa para você, lembra o seu ostracismo social, consequentemente você acaba ficando indiferente a todas elas, ate mesmo em relação a data do seu aniversário. Você não tem muito o que comemorar.
  10. Horror a barzinhos: você anda nas ruas e vê aqueles heteros lindos , sorridentes, felizes e aparentemente no cio, sempre gritando ou fazendo algo estúpido para chamar a atenção das mulheres para si e muitas vezes são as mulheres que fazem esse papel, você então fica triste pois embora aqueles homens sejam todos do tipo que você aprecia, eles são violentos e repudiam veementemente homossexuais, se você vai a bares gays, você sabe que lhe chegarão outros homens gays que não lhe causarão absolutamente nada, alem disso você corre o risco de num bar gay ser alvo de grupos radicais de extrema direita, por tudo isso você acaba evitando a vida noturna onde mora e fica 24 horas em cima de um computador com internet.
  11. Vulnerabilidade: por você sofrer todas as situações acima, numa relação interpessoal você acaba estando mais vulnerável quando precisar brigar por seus direitos ou pelo seu ponto de vista, mesmo você estando certo, você por ter um comportamento rotulado de antisocial acaba gerando antipatia gratuita nos outros e as pessoas tendem a acreditar e considerarem mais as pessoas “sociáveis” e sedutoras, veja-se o exemplo do Hitler que beijava criancinhas e seduzia os seus fãs com alguns sorrisos, ele ganhou carta branca para fazer o que fez graças também à sua sedução social, então, uma pessoa que aparentemente é antisocial ela passará uma imagem de ruim e sem credibilidade, quando uma pessoa “social” então inventar alguma mentira contra você para lhe colocar em uma encrenca, as pessoas darão mais crédito a ela do que você que é um gay “esquisito” que não se mistura com ninguém, por isso, socialmente o gay que gosta de hetero é muito vulnerável e num debate corre serio risco de ser “fuzilado” injustamente pelos colegas.
submitted by espiritossuperiores to gay [link] [comments]


2020.07.05 21:54 DeepBluePacificWaves Relatos de um domingo depressivo

Hoje eu acordei como em todos os domingos. Triste, solitário e de folga. Nunca consegui entender o que acontece nesses dias. Não me sinto produtivo, embora saiba que esse é o único dia que tenho para seguir com meus projetos com calma.
Mas hj era diferente. Era o meu dia de preparar o almoço. Após uma manhã preguiçosa jogando Civilization e uma ducha banhada em silêncio, preparei pela primeira vez o meu prato favorito (strogonoff de frango com refrigerante gelado).
Quase errei a receita, que minha mãe me passou mais cedo antes de ir pra igreja, mas com sorte eu já tenho alguma experiência na cozinha pra lidar com essas coisas sem esquentar a cabeça. No final deu tudo certo, embora tivesse medo de que o molho tivesse ficado com muito gosto de tomate.
Preparei a sala de melhor forma que pude (a namorada do meu irmão iria almoçar conosco hj) e deixei o arroz e o molho prontos pra que no hora do almoço pudéssemos sentar e comer. Mas minha família, como sempre, se enrolou na saída da igreja e não me avisaram. Fiquei esperando até quase 15h00 quando todo mundo chegou pra comer.
A comida estava meio fria, mas não me importei muito. Pensei nisso como uma espécie de punição por me fazerem esperar tanto sem ao menos me avisar. Conversa aqui, papo lá e eu fiquei só escutando, como se de longe. O culto foi bem (meus pais ministraram o louvor e passaram a semana inteira treinando os "worships" da igreja), o filho do pastor (que aliás tem o mesmo apelido que eu) não quis ir pra igreja pq não achou ir nessa pandemia e ainda fez bem em criar um climão no grupo lembrando todo mundo do número se mortos e infectados. Meu pai, é claro, não gostou da atitude e acha que ele está sendo imaturo (segundo ele as pessoas precisam sair uma hora). Fico imaginando o que ele pensa de mim, que não saio desde de março, no começo da pandemia.
A conversa se desenrolou de tal modo que chegaram no assunto das "Lembranças da Feliz do Adolescente Padrão™" no acampamento da igreja. Falaram sobre as pegadinhas e as zoeiras, os namoros e as intrigas e tudo mais. Nessa parte me senti mais alienígena possível. Se antes eu não estava no clima pra um almoço de domingo, agora eu estava me culpando por não ter a vida que deveria ter tido. É até estranho pensar que o meu irmão menor se tornou tão normal. Às vezes eu percebo que ele age comigo como se eu fosse mais novo do que ele, como se ele fosse mais maturo pra idade. E embora eu saiba que já sou um adulto com as minhas responsabilidades (emprego e contas pra pagar), às vezes eu me pergunto se isso não é verdade.
Desde antes da pandemia eu sempre me fui uma pessoa muito criativa, mas muito fechada no próprio mundinho. Não é como se eu não quisesse crescer e amadurecer, ou seja, me tornar a melhor forma do que eu posso ser, mas é que muitas vezes eu me pego de volta no meu mundo de sonhos e quando eu em dou conta, já é tarde demais.
Como sempre, eu tive que ser estranho e me afastei das pessoas para tentar entender o que eu estou passando, mas não antes de me contemplar enquanto limpo o almoço de domingo. Minha mãe não achou justo, já que quem cozinha não limpa e foi me ajudar. Ela achou estranho que eu tivesse servido as pessoas e limpado a bagunça, mas eu achei que era responsável pelo almoço de hoje, então eu sinto que não fiz mais do que a minha obrigação.
Agora vou descansar e me preparar psicologicamente para amanhã, quando serei forçado (por conta de circunstâncias foras do controle de qualquer um no momento) a voltar a atender na linha da central de atendimento da minha empresa. Sei que deveria estar grato por estar trabalhando nesse momento tão complicado, mas também que não me darei bem atendendo voz (ainda mais um produto tão cheio de detalhes quanto esse que trabalho), mas quando migrei pro setor de e-mail eu tinha esperanças de que nunca mais precisasse atender um cliente em linha novamente. Mas de novo, ninguém esperava a porcaria de uma pandemia mundial, então acho que a única coisa que eu posso fazer é viver um dia de cada vez.
submitted by DeepBluePacificWaves to desabafos [link] [comments]


2020.06.25 12:10 Dany_Tai Sou babaca por querer sair de casa e não suportar mais os meus pais? (Obs: favor ocultar meu nome se for postar em algum lugar)

Oi Luba, restos de papelão, gatas, muito Improvável convidado e turma que está a ver (vcs são daora)
Meus pais são extremamente conservadores e religiosos (São testemunhas de Jeová), controlam cada aspecto da minha vida. Controlam meu celular, meu namoro, e até com que posso fazer amizade. Tenho 15 anos de idade e não suporto mais os meus pais na minha cola o tempo todo. Eu vou contar um pouquinho da minha vida pra vcs entenderem.
Bom, primeiro que eu fui um acidente né, segundo que meus pais queriam um menino, terceiro que eu sou quase tudo o que eles querem que eu não seja.
Minha irmã nasceu quando eu tinha dois anos, até aí beleza, mas meus pais queriam que fosse um menino. Aí entra meu irmão na história, ele nasceu quando eu tinha quatro anos, e claro que eu era deixada de lado, afinal, um recém nascido e uma criança de dois anos precisam de mais cuidados do que uma criança de quatros anos. Eu nunca me dei bem com a minha mãe, isso é fato, todo mundo sabe, mas com meu pai ERA diferente.
Aí fui crescendo e tal, superei o bullying na escola, alguns corações partidos, e também a pior coisa que me aconteceu no fundamental. Eu não tinha muitas amigas, e depois do que minha mãe fez, passei a não ter nenhuma. Minha mãe HUMILHOU todas elas, chamou elas todas de putas e de "meninas faceis", disse que não tinham caráter e mais um monte de outras coisas horriveis. Eu fiquei passando o intervalo das aulas sozinha durante um ano (as vezes me escondia no banheiro porque os meninos ficavam me zoando), um ano pra fazer uma única amiga (a qual meus pais não gostam, porque ela tem um filho). Eu comecei a namorar (no início foi escondido, porque eu sabia que meus pais não iam aceitar), quando contei pros meus pais, eles nos encheram de regras como: Só poder se ver uma vez por semana (agr só podemos nos ver uma vez por mês, mas isso é outra história); não poder dormir na casa do outro e, se dormir, em quartos separados (agora nem podemos mais ir na casa do outro, faz quase 5 meses que ele não vem aqui, e eu vou pela primeira vez em 5 meses na casa dele, porque estamos fazendo um ano de namoro mês que vem) e outras coisas nada a ver.
Meus pais gostam de ficar jogando as coisas que eu já fiz de errado na minha cara, bem como meus irmãos. Meus pais dizem que a culpa dos meus irmãos serem uns demônios é porque eles estão seguindo o meu exemplo. Minha mãe já chegou a dizer que sou a decepção da vida dela, e meu pai uma vez disse que não consegue ter orgulho de mim, só vergonha. Já estou acostumada com insultos vindos dos membros dessa "familia".
Eu não sei o real motivo, mas suspeito que meu transtorno de ansiedade seja causado pelos meus pais, porque além deles serem assim, exigem muito de mim na vida acadêmica, além de ter que ser "dona de casa", e também uma boa reputação, porque "sou filha de servos de Deus".
Eu queria saber o que vcs acham, as vezes sinto que sou muito hipócrita por sentir "odio" por meus pais. Eu sei, foram eles que me criaram, mas eu não consigo amá-los, e as pessoas me fazem sentir horrível com isso.
Em fim, é isso. Desculpa o texto longo.
Edit1: Esclarecendo dúvidas
Edit2: mais dúvidas kkk
Não tenho como arranjar um emprego por alguns motivos, como:
• A minha cidade não oferece jovem aprendiz em nenhuma empresa é, se oferecesse, teria que ser junto com um curso, e eu ficaria totalmente sem tempo.
• Se as aulas presenciais voltarem vou ficar com menos tempo ainda, pq estudo em outro cidade. Por exemplo, eu tenho que acordar às 5 a.m, pra pegar um ônibus as 6 a.m, chegar na escola as 7 a.m, e estudar até 5 p.m, aí ir embora e chegar em casa as 6 p.m.
Acho que é isso.
BEIJO SEUS LINDOS ❤❤
SE CHEGAR NO LUBA EU ZEREI A VIDA ( P.s:Te amo Lubixco)
Obrigada por todos os conselhos e boas vibrações, eu adoro vcs❤
submitted by Dany_Tai to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.25 05:26 jujubaacida Sinto que não fui o suficiente pra mim...

Oiê Luba, editores, gatas, e todos que leem aqui... Bem, essa é a minha história de autossabotagem e auto julgamento, sim, isso mesmo, mais uma que na vida só toma no c*. Desde muito nova ouvia dos meus pais que na vida nada vem fácil, tudo requer esforço e que para sonhar tem que trabalhar muito pra realizar o que almeja, daí começa minha vida abdicando de festas, namoros, interações sociais, enfim, o foco era/é na vida acadêmica. Em plena era de pandemia, seria esse meu último semestre do curso de Eng Química, teria que escrever o TCC e tals... Mas não foi bem assim, minha família está na zona de risco, tive que tomar a frente da empresa junto ao meu irmão... Sem foco, sem ânimo, meu TCC ficou de lado, e no fim do semestre não consegui entregar... Tô desapontada comigo... Sem saber como falar com meus pais sobre a reprovação na cadeira... Desapontar eles também...
Agradeço se você leu até aqui, Um abraço virtual <3.
submitted by jujubaacida to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.21 05:41 duartejoaov Gratidão Profunda de um Adolescente.

Então, eu vejo muitos posts reclamando por aqui e tal, e sinto falta de ver coisas positivas também, portanto vou deixar minha experiência com a mudança de vida que tive.
Eu tenho 17 anos atualmente, e vocês não tem noção do quanto minha vida mudou em 2 anos ! Vou resumir bastante a história, mas se eu fosse contar tudo ficaria aqui quase 1h.
Para vocês entenderem a história, aos 15 anos em abril de 2018 aproximadamente, eu tinha uma melhor amiga que era muito apegado, e até meio apaixonado. Em abril ela começou a namorar um garoto e eu estava ficando meio triste cm isso e tal, por tanto decidi me afastar. No início tava sendo meio difícil, eu conversava com ela todos os dias e fazia falta. 1 mês depois tomei uma decisão, eu era um garoto que jogava muito, ficava 24h no Pc jogando LoL, parei pra refletir uma noite e vi que tava infeliz com a minha vida, eu não tava vivendo o que eu queria, parei pra analisar o que eu tinha que mudar, e decidi largar os jogos, vendi meu PC no dia seguinte e nunca mais joguei.
Essa decisão foi o ponta pé inicial, a partir dali minha vida estava direcionada a mudar. Eu estabeleci 3 metas de coisas que eu queria mudar na minha vida, que eram 1- Arrumar um emprego 2- Conhecer pessoas novas 3- Melhorar como pessoa, minha personalidade em geral O ano acabou de começar 2019: Comecei do início, indo atrás do emprego, todo dia de manhã entregava currículo online. Após 6 longos meses consegui meu 1° emprego, nessa época eu já não estava mais triste por ter cortado a amizade, não conversamos mais e eu não sentia falta, enfim, consegui o emprego em junho do ano passado, fiquei feliz pra caralho... Comecei a ver as mudanças surgindo. Fiz umas amizades muito boas nesse emprego, me ajudaram a evoluir, eu tinha que acordar bem cedo e carregar caixas, era cansativo mas mesmo assim era grato por aquilo e pelo o que me proporcionou.
Após 7 meses nesse meu emprego, um colega meu do trabalho falou de um concurso público que iria ter para trabalhar na empresa ao lado, que era a Intelbras, era uma vaga para jovem aprendiz, de 14 a 24 anos, pensei então porque não participar, sai do emprego e fui direto na empresa me candidatar para a prova. 1 semana depois fui fazer a prova, não tinha nem estudado direito, mas estava confiante. Após receber o resultado da prova descubro que passei na pontuação mínima que era 14/20 questões, sinceramente eu não sabia nenhuma de matemática, mas as de português eu sabia 9, então as outras 5 foi só no chute (kkk). Fiquei feliz pra caramba, porém tinha a entrevista para fazer ainda, e eram cerca de 500 jovens que iam participar para 60 vagas. Chegando o dia da entrevista, eu estava confiante, não sei porque, mas tinha a sensação de que tudo ia ocorrer bem, e foi dito e feito, a entrevista era em grupo e me destaquei muito bem, no mesmo dia soube que fui um dos aprovados. Eu estava até meio em dúvida sobre mudar ou não de empresa, pois eu tinha bastante amigos na empresa que eu trabalhava e ia ser difícil me afastar, porém eu sabia o que era o certo a fazer, aceitei a proposta, isso foi essencial pra minha mudança, vocês vão saber o porquê.
Em fevereiro desse ano eu comecei na empresa, confesso que estava meio inseguro, mas logo no 1° dia fiz amizade com um cara muito gente boa chamado Marcos. O Marcos era aquele tipo de amigo que te passa a "visão" de tudo, ele era um cara boa pinta e conseguis se dá bem com qualquer um, inclusive com as mulheres. Estava gostando muito do trabalho, era simples e não exigia muito esforço, além de ter um salário bom. Por ser um cargo de jovem aprendiz eu fazia curso no Senai, com vários adolescentes, e esse meu amigo Marcos estudava lá, portanto ele conhecia quase todo mundo, por eu andar com ele fui conhecendo algumas pessoas também. Um certo dia ele me apresentou a Lívia, que era uma garota muito linda mesmo, eu nunca fui aquele menino pegador, fiquei com poucas gurias, mas eu não me achava feio, nem muito bonito, porém tenho um papo massa, consigo desenrolar bem. Eu e essa Lívia começamos a conversar, porém conversamos por 1 semana e depois paramos de conversar.
Chegou o carnaval desse ano, eu nunca tinha pulado um carnaval, mas achei que esse ano merecesse por estar acontecendo muitas coisas boas, então eu fui. Resumidamente meu carnaval foi muito massa, eu conheci muita gente e aproveitei bastante, mesmo não tendo ficado com 1 guria só KKKKKK. Nesse carnaval conheci o Fidelis, que por coincidência morava aqui perto de casa, então decidimos ir pra casa dele beber e trocar uma ideia depois do carnaval, foi eu e uns amigos nosso, esse dia foi importante pois qnd eu cheguei em casa parei pra refletir e vi o quanto minha vida tinha mudado. Eu havia conseguido um bom emprego, consegui conhecer pessoas novas, mudei meu ciclo de amizade, me afastei de amizades que eu considerava negativas.
Dali pra frente eu sabia que tava cada dia mais perto de ter a vida que eu queria, eu tava vendo resultados das minhas atitudes e percebendo as mudanças.
Pulando pra mês passado, eu voltei a falar com a Lívia, e ficamos bem íntimos, me identifiquei muito com ela e tal, me parecia algo meio distante ainda ter algo com ela, mas mesmo assim tentei. Depois de uma semana mais ou menos decidi mandar a real pra ela, falei que achei ela uma garota muita firmeza e parceira, e que ela era engraçada e pá, e perguntei se ela tava ficando com alguém, logo em seguida ela respondeu que me achava altos guri tbm e pá e que não tava ficando com ninguém, porém isso foi d madrugada e no outro dia mudamos de assunto. A princípio minha idéia era marcar algo com ela pós quarentena, então continuamos conversando normalmente. Semana passada ela começou a dar algumas indiretas pra mim, como se quisesse ficar comigo, confesso q fiquei bem feliz, agora estamos bem próximos, já marcamos de sair e tenho certeza que vamos ficar pq ela já falou que quer. Não sei como vai ser qnd sairmos, vou só ter fé e ver no que dá, talvez eu volte pra contar como foi kkkk.
No mês passado aquela melhor amiga que eu tinha veio falar comigo, ela já tinha terminado o namoro há um tempinho, porém eu realmente nem sabia dela. Começamos a conversar e expliquei o pq tinha me afastado, além disso ela falou também que eu virei outra pessoa, que eu tinha mudado de mais para melhor e que ela tava orgulhosa de mim, pela pessoa que eu me tornei. As vezes ainda conversamos mas não sinto nada por ela, mas considero uma pessoa especial pois me ajudou a mudar.
Chegamos no dia de hoje, sinceramente 2 anos atrás eu não tinha noção do quanto minha vida ia mudar, tive muita fé e fui atrás do que queria, nunca me acomodava. Hoje recebi uma notícia muito mas muito boa mesmo, não vou comentar porque é algo que quero deixar no sigilo por enquanto, mas isso vai me abrir muitas portas na minha vida e sou extremamente grato.
A minha mensagem final pra vocês é pra vocês não aceitarem ter uma vida que não se orgulhem, a nossa vida é uma experiência única, portanto vivam o sonho de vocês, vivam o extraordinário ! Não se acomodem em uma vida que não se orgulhem, procure ir atrás de mudar, de evoluir, de conhecer coisas novas, garanto que vai ser a melhor atitude que vocês vão tomar na vida toda, e vão poder vivenciar uma experiência única de poder olhar pra trás e ver toda a tua trajetória e se orgulhar por tudo o que vivenciou. Cada pequena decisão que tomamos influência o nosso futuro, e tudo depende só de nós mesmos, de nosso pensamento e das nossas atitudes, há 2 anos atrás eu não achava que era capaz de conquistar tudo o que eu consegui, hoje estou vivenciando isso.
Sou muito grato por tudo o que aconteceu, porém não estou satisfeito ainda, e não irei parar até ter a vida que eu imaginei.
Hoje posso dizer que aquela minha lista com 3 coisas está completa, e sinto uma paz profunda por isso.
Enfim acho que é isso, perdão pelo texto longo, mas espero que ajude algum de vocês, ainda mais na fase da adolescência que é algo difícil, talvez eu conte outras experiências que tive futuramente !
Gratidão pela atenção e muita fé na mudança !
submitted by duartejoaov to desabafos [link] [comments]


2020.06.07 03:08 BethNina 3 Triângulos Amorosos

Oi, gente linda do canal! (Ah, não, pera)
Galera, essa história é bem longa e começou há uns 2 anos (é. Não acabou ainda, mas nós vamos chegar lá).
Então, era um momento lindo da vida em que nós ainda podíamos sair de casa. Eu estava solteira há bastante tempo e meu hobby era usar o Tinder para conversar com as pessoas e, quem sabe, encontrar alguém legal pra amarrar meu jegue.
Match vai, match vem, acabei conhecendo não só uma, como DUAS mulheres que eu achei maravilhosas. Além de lindas e o papo era beeem massa. Vamos chamar uma de Carls e a outra de Larls.
Como a solteirisse é terra de ninguém, acabei saindo com as duas.
O detalhe: a Carls é CASADA com um HOMEM 15 anos mais velho. E a Larls estava envolvida também com um HOMEM (casado e também muitos anos mais velho, diga-se de passagem tb).
A Carls tentava me convencer de sair com ela e o marido. Só que eu não estava nessa onda, e falei que se ela quisesse sair comigo, ok. Senão, seriamos só amigas mesmo.
Enquanto isso, eu saía com a Larls e a gente se divertia bastante. E eu fui bem clara com as duas que eu não era exclusiva. Cada uma sabia da outra. E tava tudo ok.
A Larls cozinhava para mim, ia comigo ao cinema, e era realmente bacana. Só que as duas ficavam com muito ciúmes uma da outra (não julgo, pq eu também tinha ciúmes das duas com os caras). Inclusive, ela tinha ido até o hospital me levar comida quando eu tive uma crise de enxaqueca. Ela acabou conhecendo meu pai, minha mãe e meu irmão naquele dia.
Já a Carls me levava para almoçar e talz, só que sempre às escondidas, super rápido, coisa de no máximo de 1h a gente se vendo. Ela ficava sempre bastante nervosa perto de mim, sempre olhando para os lados e analisando ao redor. Foi aí que eu descobri que o marido dela foi diagnosticado clinicamente como PSICOPATA. E, adivinhem: ela tem porte de arma. E ela tem uma arma em casa!
Passou 1 mês e a Larls me mandou mensagem dizendo que, para ela, já não dava mais. Só que eu fiquei desesperada, porque eu realmente gostava dela. Acabei tomando minha decisão: fui até a casa dela e a pedi em namoro.
Aí no meio daquela emoção de começar um namoro, minha irmã me liga pedindo para buscá-la no Outback. Ela tinha começado o namoro com uma menina no mesmo dia.
Chamei ela pra ir comigo. Enfim... Minha mãe era meio homofóbica naquela época, então quando chegamos na minha casa, foi uma situação meio tensa.
Passadas 2 semanas, a Larls ainda estava muito ciumenta da Carls (a gente ainda conversava, mas eu realmente não estava ficando com ela). Até que eu não aguentei mais e terminei o namoro.
A Carls falou que ia largar do marido e acabamos "namorando" por um mês (mas foi tudo virtual, pq ela estava em outro estado com o marido e a enteada).
Quando ela voltou, as coisas estavam estranhas entre a gente. Resultado: ELA VOLTOU COM O MARIDO!
Foi uma baixaria só... Ela começou a me mandar mensagens no Instagram. Bloqueei. Facebook, bloqueei. WhatsApp, bloqueei. BLOQUEEI EM TUDO QUE EU LEMBRAVA.
Até que um belíssimo dia ela me manda um e-mail me pedindo dicas de trabalho (eu trabalho com marketing digital) porque ela tinha arrumado um emprego como assistente jurídica em uma empresa com foco em atendimento digital.
Respondi e depois mais nada.
VEY, A GURIA COMEÇOU A FAZER SPAM NO MEU E-MAIL COM MENSAGENS. Eu respondi ela desabafando toda a minha revolta que estava entalada.
Eu tive que bloquear ela do meu FUCKING E-MAIL.
Passaram vários meses e, depois de ter me restabelecido emocionalmente, acabei procurando a Larls para pedir desculpas porque eu tinha sido babaca com ela (eu sei que eu não deveria te continuado a conversar com a Calrs depois que começamos a namorar).
Acabamos voltando a conversar e as coisas foram fluindo bem mais naturalmente. Até que um dia convidei ela para ir comigo no casamento de um amigo e, como meus pais e meus irmãos estavam viajando, a minha AVÓ me ligou pedindo para eu levar minha amiga para dormir lá em casa e eu não ficar sozinha.
Bom... Acabamos ficando.
E uma semana depois estávamos namorando. Isso foi em novembro de 2018. Quando foi no carnaval de 2020 fomos morar juntas.
Acabamos de completar 1,5 de namoro. A Larls esteve comigo quando perdi meu avô em abril e meu pai em julho. Hoje ela conversa mais com a minha mãe e a minha avó do que eu kkkkkk
É isso, turma.
Estou anexando alguns prints dos e-mails com a Carls pra vocês verem que não é fake:
https://imgur.com/a/QUoIxIF
submitted by BethNina to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.06 17:04 swordmasterman Por que o dólar não para de cair?

Isso não faz sentido nenhum. As coisas não mudaram, quer dizer, na prática até pioraram - mais de 1000 mortes de covid por dia; a ameaça de se iniciar uma onda de protesto contra o governo e de haver repressão popular; o drama dos 600 reais; as declarações do Paulo Guedes dizendo que "nós vamos desperdiçar dinheiro ajudando as empresas pequenas"; o fim do namoro com o Trump etc.
Pra mim isso mais parece uma bolha especulativa, de gente alheia à realidade, prestes a explodir.
submitted by swordmasterman to brasil [link] [comments]


2020.06.05 06:21 joaopro777 MANDA AQUELA MENSAGEM DIRETA SEM ENROLAR! A VERDADE DÓI

Já postei algo aqui e acabei voltando... as coisas surgem e desaparecem e nem percebemos o que estamos nos tornando. Se você não tirar três minutos para ler esse texto vaza agora porque vai ficar estranho...
Tudo começou quando tinha dezessete pra dezoito, já namorava aquela mina desde o tempo de escola e acabei descobrindo uma traição meio nada haver mas sempre confiei na minha intuição, perdoei, voltamos, terminamos, voltamos, enfim, aquele lopping infinito que adolescentes passam e só entendem quando são adultos, calma você que ler entenderá tudo...
Na época eu tinha dezoito anos, descobrindo que pra eu ser alguém eu tinha que levantar e caminhar com minhas próprias pernas, sempre será ralado pra todos aqueles que não tem empurrão da família, comecei a trabalhar na empresa onde o pai da minha namorada (a mesma da traição) supervisionava. Afinidade com os pais a mil, já que faziam anos de namoro, eu era o genro perfeito, futuro papai e traria felicidade pra todos.. tentei dar o meu melhor na época eu lembro que nunca reclamava nem quando ia de bicicleta pra escola aos quinze anos, nem quando a corrente caia, nem quando tive que juntar pra comprar meu primeiro carro aos vinte e dois anos, enfim. Depois de descobrir essa traição e por ela ser meu primeiro amor algo se transformou em mim, de amor à ficção de relacionamentos, comecei a entender o real sentido do amor e antes que termine o texto já aviso, ele não existe, sinto muito mas é real.
Lembro de ter batalhado pelo primeiro concurso que passei, da primeira facul que fiz e entrei, lembro de ter ela ali ao meu lado sempre me perdoando já que eu não era a mesma pessoa depois que descobri a traição, comecei a fazer tudo ao contrário e cheguei até namorar outra menina na época que era a melhor amiga dela... tudo começa a ficar interessante quando eu decido reatar mesmo nunca tendo perdoado aquele ocorrido, mesmo sabendo do perigo que haveria se acontecesse de novo, sempre fiquei com a pulga atrás da orelha, mulheres são muito previsíveis e a intuição de alguém atentado capta tudo com uma mente brilhante... seguindo esse percurso já me vi pai de uma menina com “the love of my live” mas uma filha não era suficiente para eu sentir o perdão na alma, eu amava cada dia que passava e via minha filha crescer porque até hoje todo amor pra ela, mas na época lembro que aquilo não me deixava focado no relacionamento e o que qualquer idiota estúpido faz quando se está magoado?! Mais merda, comecei a sair e não voltar pra dormir em casa, fiquei com tantas quanto consegui, vivi o submundo das drogas e me adentrei fundo em uma realidade que divergia profundamente em quem eu era na adolescência..
Não obstante a ser diferente acreditava que nunca mais seria feliz novamente, não por causa da traição eu nem lembrava mas tão forte desse fato, o que doía era saber que estava com alguém que foi capaz de fazer aquilo quando dei todo o amor que tinha em meu peito, veio o segundo filho e nesse meio tempo só pensava em trabalhar para manter tudo em ordem, larguei a faculdade, pedi exoneração de um concurso público, vendi um transporte e abri minha primeira empresa, afinal eu era o homem da casa e você não pensa em desistir quando se tem filhos e obrigações, lembro que nesse tempo estava tão focado que todos os problemas ficaram pequenos, consegui trocar de carro duas vezes no mesmo ano, era dois mil e dezoito e realizei o desejo que sempre tive de viajar de avião, gastei o dinheiro que ganhava na empresa, me capacitando cada vez mais, investindo em conhecimento e então veio o primeiro boom quando tudo estava “encaminhado”, percebi que tudo era uma ilusão, minha mulher já não estava mais ali comigo, eu estava sozinho mantendo uma empresa que já quase completando seu primeiro ano não iria bem, fiquei tão atarefado na época que trabalhava dezesseis horas por dia e quando chegava em casa era o pior marido do mundo, não por escolha mas chegar cansado do trabalho que você já não aguentava mais e ouvir reclamações da sua esposa enquanto tenta dar o seu melhor o tempo todo dói na alma.
O silêncio era minha resposta, voltei ao submundo das drogas, dessa vez com coisas mais pesadas, (edit: entenda como quiser mas nunca ultrapassei o limite tanto em minha vida) vivi o período do ano com o pensamento na cabeça que estava vivendo em uma matrix e não importava as escolhas que fizesse sempre seria uma ilusão pensar que as coisas se e encaixariam já que quando dei todo o meu amor, fui traído, mesmo sendo adolescente isso marcou e essa dor ecoou até o ponto de terminamos, o que tudo indica permanentemente, na mesma época, fui diagnosticado com Bipolaridade por um Pseudo psiquiatra com somente dez minutos de conversa, minha família inteira me olhou com aquele olhar de pena, pra completar, acabei sendo julgado por ter pedido exoneração do Concurso público, ter desistido da faculdade e ter quebrado a empresa, sinto que eu trouxe essa realidade pra mim de uma forma que não sei explicar, como se não tivesse escolha (think the outside box) as coisas iam acontecendo muito rápido..
Hoje, dois filhos, ela, já está com outro, eu, pago pensão e tive que me desfazer de tudo, de cada centavo e me restou dívidas financeiras, restou os olhares de julgamento da minha família por não entender nada e apontarem o dedo pra mim como Bipolar e depressivo. Carrego culpa e convicções que me tornaram a ser quem eu sou hoje.
Consigo enxergar com clareza que existe uma linha tênue entre a realidade e a ficção de ser feliz e triste, de ter sucesso na vida ou ser fracassado. Mas aos vinte e cinco anos (faço vinte e seis dia treze desse mês) minha maior convicção é a minha dor, ela é meu navio e minha bússola é meu desejo de ser “o cara” novamente no futuro, com novas metas e novas conquistas pra alcançar... hoje estou com o “freio de mão puxado” mas quando fecho os olhos consigo sentir até o cheiro do meu próximo carro, da minha casa na praia, mas quando abro os olhos a realidade dói porque surge um pensamento e um questionamento: será que sempre tive tudo e meu dom era reclamar do que já tinha ou será que tudo o que deixei pra traz foi necessário para encontrar alguém que no momento certo e na minha melhor fase fará toda a diferença?
Penso, logo existo. (Amo filosofia)
O que vocês acharam? Fariam do mesmo jeito? Alguém já passou por algo parecido? Escrevam o que quiserem mas não aceito ouvir nada além da verdade das suas almas. Perdoem os erros e a falta de clareza, afinal estou deitado na minha cama e pensando várias coisas ao mesmo tempo enquanto escrevo.
submitted by joaopro777 to desabafos [link] [comments]


2020.06.03 23:49 mickscotts VOU MORRER SOZINHO. ALON

Eai Luba, editores e turma!
A minha história é sobre coração partido :c
Bem, eu conheci a "carls" há, mais ou menos, uns dois anos e meio. Trabalhamos juntos em um bar aqui na cidade, eu fazia os drinks e ela era garçonete. Ela não ia muito com a minha cara pq me achava folgado, só pq eu fugia na hora de lavar os banheiros(é eu era folgado msm kkk) e também sempre achou que eu fosse um daqueles caras que sai com todo mundo e só ilude geral, mas eu estava muito afim dela, achava ela uma mulher independente, bonita, estilosa e inteligente.
O tempo foi passando e ela sempre me cortava, até cheguei a sair com uma colega dela pra tentar despertar alguma reação nela, e eu consegui! Ela reagiu dizendo "nossa, vcs dois combinam"(desgrama!).
Acabei parando de trabalhar no bar e entrei numa empresa, já havia se passado um ano desde o tempo que trabalhei com ela, até q começamos a conversar pelo instagram. Fiquei feliz, mas dessa vez eu não criei muita expectativa pq eu já tinha me magoado da última vez, e por mais que ela me achasse do tipo babaca que ficava com todo mundo, eu sabia que se ela ficasse sozinha comigo UMA VEZ, ia perceber que eu não era assim. PS: eu era solteiro, então aproveitava pra curtir a vida, mas, pô, isso não significa que eu seja babaca...só tava aproveitando a vida de solteiro.
Bem, surgiu um evento na cidade, um encontro de Moto Clube. Eu a convidei pra ir comigo. Ela topou! *AEE CARAIII* Por dentro eu estava assim, mas minha razão deu um tapa na minha cara e pediu pra não criar expectativas.
O dia do evento chegou, fui busca-la e antes de ir para o evento paramos no bar no qual já havíamos trabalhado pra tomarmos umas bebidas. Ela bebeu um pouco mais do que aguentava, enquanto eu me controlei pq estava dirigindo. Fomos para o evento, ficamos curtindo um pouco até q ELA chegou em mim e disse que estava afim de me beijar. Por dentro eu estava estourando Champagne e cantando WE ARE THE CHAMPIONSSS, mas por fora eu só fiquei com um sorriso tonto na cara.
Demos um perdido no pessoal q estava com a gente e fomos num lugar mais calmo pra nos beijarmos e conversarmos. Ficamos lá por um tempo e depois voltamos, mas alguns minutos depois ela dormiu encostada no meu ombro(bebida fez efeito, né). Chamei ela e perguntei se queria ir embora, ela concordou e fomos para minha casa. Chegando lá, ela deitou na minha cama e capotou kkkk eu deitei um pouco longe e dormi tb (detesto caras que se aproveitam de mulheres enquanto estão bêbadas). Algumas horas depois ela acorda e me acorda tb, e fala "nossa, vc dormiu com a mesma roupa q estava no role?" eu concordei e falei que não queria q ela achasse que eu fosse do tipo que me aproveito dessas situações. Após esse momento ela percebeu que eu não era como ela imaginava antigamente...ficamos juntos aquela noite e desde aquele dia estávamos sempre juntos, e ela sempre vinha dormir em casa. Inclusive foi ela que me apresentou o LubaTv e agora não perco nenhum vídeo. kkkkk
Algum tempo depois tivemos nossa primeira "discussão" pois ela queria namorar mas eu não me sentia preparado, pq sempre foquei mt em conquistar minha liberdade financeira e deixava o amor em segundo plano. Porém um tempo depois eu a pedi em namoro pois sabia que iria perde-la caso eu não tomasse alguma atitude.
O tempo passou e eu aprendi como é bom ter alguém que te ama de verdade e está sempre te elogiando e sendo carinhosa, mas eu nunca fui mt de expressar meus sentimentos, pois cresci numa família que tb é assim(por mais q eu seja o pior entre eles). Com o tempo ela foi ficando triste por não receber todo aquele carinho de volta, por não ouvir muitas palavras fofas vindas de mim. Por mais que essas palavras sempre estiveram dentro de mim, eu nunca falava.
Há poucas semanas ela terminou o namoro, mesmo afirmando que me ama e eu tb dizendo que a amo, mas q ela não acredita que eu possa mudar e me tornar mais carinhoso de um dia para o outro, até pq ela já me disse várias vezes que sentia falta disso, e eu nunca havia mudado. Desde então eu venho tentando me expressar mais e me tornar uma pessoa mais aberta.
OBS: Essa não é a história completa pq se não ficaria muuito extenso, mais do q ja está.
Talvez ela leia essa história aqui e fique brava comigo, mas como já diz o ditado "O que é um peido pra quem ta cagado" né kkkkkkkkkkkk
BEM TURMA, a história não é engraçada e tal, mas quis relatar aqui kkkkk e lembrem-se: Não deixe para amanhã o que pode ser dito hoje.
*ALON*
<3
View Poll
submitted by mickscotts to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.02 06:45 ValBSJr Em meio a tanto caos, algo diferente.

Vi tantas pessoas falando aqui que não estão sendo produtivas, não estão contentes com o rumo que a vida tomou....em fim...tenho duas coisas a dizer
1- A culpa de vc chegar onde chegou é sua sim.
2- Ainda dá tempo de mudar.
Sempre fui um procrastinador de carteirinha, com tudo....trabalho...saúde...família...Então um dia de domingo depois de acordar com uma ressaca acumulada de 3 dias (que ressaca viu amigos) eu simplesmente vegetei o dia inteiro na cama...passei o restante do dia inteiro deitado olhando pro teto, não pensava em nada...não queria fazer nada. No dia seguinte, decidi que não queria mais aquilo em minha vida. Minha vida se resumia a matar aula da faculdade pra ir beber (meu curso era integral imagina o tempo que eu passava no bar) sair pra comer e ficar em casa online. Eu estava a 7 anos em uma faculdade, estagnado, obesidade grau 3 e o pior de todos em minha opinião era a solidão que era culpa minha msm, que me isolava das pessoas.
Então amigo agora falo da soluça milagrosa que chama-se: atitude. Acredite em mim, é o que faz toda a diferença. Muitas pessoas querem ajudar, mais isso não pode acontecer se vc não se ajudar primeiro. O que me dá perícia pra falar disso é minha própria experiência e mais nada. Primeiro larguei a faculdade e vario maus hábitos. Em seguida arrumei um emprego. Demorou bastante a acostumar com a vida de adulto mais consegui. Trabalhando duro pra melhorar o salário não me sobrava muito tempo pra sair pra beber, então meu lazer se resumia a comer e jogar nos finais de semana. Com o tempo comecei a participar mais das reuniões de família e foi ótimo pois foi bem na época que a empresa a qual eu trabalhava me deu a oportunidade de estudar novamente. E eu aproveitei...só que dessa vez com mais maturidade.
Então nessa época minha vida estava da seguinte forma: trabalhava 44hrs por semana, de segunda a sábado, e cursava contabilidade no período noturno. Nós finais de semana passava tempo com a família. Estando na posição de aluno que trabalha vc enxerga tudo de outro jeito, descobre que é mais barato prestar atenção na aula pra não ter que assistir vídeo aula em casa até porque eu não tinha tempo pra isso...descobre tbm que quando se trabalha os happy hours depois da aula custam mais caro pra vc que pra os colegas que acordam 10hrs da manhã e pode escolher se toma café ou espera o almoço. Ate aqui tinha saído de universitário, fodido para pagador de funcionário, bolsista da empresa e pagador de impostos....bom né? Ao me aproximar da família novamente tbm ajudo na solidão...só que não em tudo. Aí vem outra grande mudança.
Conheci a pessoa que foi a razão de eu querer crescer mais ainda...minha noiva. Conheci ela através de amigo da faculdade uma das poucas vezes que participei das reuniões depois da aula. Eu achava que minha vida era complicada...mais a dela... um resumo...ela tinha perdido a mãe a poucos meses, era brigada como resto da família, era bolsista do fies e desempregada. Quanto mais eu conhecia ela mais eu queria crescer, pra dar tudo que ela precisava...amor...carinho...apoio...amizade...conselhos....tudo msm. E consegui, em pouquíssimo tempo nossa relação ficou íntima e sólida. E ao lado dela dei outro grande passo que foi sair de casa pra morar com ela...como dizia minha avó...juntei as escovas de dentes. Então...trabalhei por 3 anos até ter a oportunidade de estudar novamente. No meio da faculdade conheci minha noiva e após 1 de namoro resolvemos morar juntos. Ficou faltando eu cuidar da saúde né, então aqui vai como procedeu essa parte.
No último semestre de faculdade eu fazia alguns trabalhos externos para a empresa que me agregavam horas extras para concluir a graduação e em um desses trabalhos tive um desmaio repentino, estava sozinho e acordei caído ao chão sem ter a menor noção de como havia caído nem quanto tempo fiquei desacordado. No dia seguinte fui ao médico fazer exames...clínico geral...cardiologista, endrocrino...neuro....acabei descobrindo que tive um pré-infarto causado pelo sedentarismo e principalmente pelo sobrepeso. Eu tinha 30 anos, 1,74 e pesava 120kgs. Aí veio outra mudança...fui a nutricionista e me matriculei em uma academia...e aos poucos fui adquirindo hábitos mais saudáveis.
Hoje, aos 33 anos, peso 92kgs (talvez 95 desde que começou a 40tena) ainda trabalho 44 hrs por semana me exercito de 4 a 5 vezes por semana 2 vezes por dia. Tive muitas recaídas...furei dieta...passei muito tempo sem perder peso...engordei algumas vezes...mais tudo isso faz parte da experiencia.
Por isso que quando falei que a culpa é sua...eu enxerguei a minha culpa primeiro....e a vitória foi minha...claro, tiveram pessoas ao meu meu lada, mais eu que permiti elas estarem ali então a vitória ainda assim foi minha. E pode ser sua também, basta vc querer. Não comece a dieta na segunda, não deixe pra ler o livro antes de dormir ou quando for a algum lugar onde não tem internet. Comece a ser a melhor versão de você. Se eu consegui vc também consegue.
Ficou BEM longo...espero que tenham gostado.
submitted by ValBSJr to desabafos [link] [comments]


2020.05.30 00:04 snakexdx Por que nada da certo em minha vida?

Nunca imaginaria que iria usar o reddit para me desabafar e espero que me ajude, pois bem tenho 26 anos e parece que minha vida está estagnada, como se eu tivesse parado no tempo e vejo muitas pessoas evoluírem e parece que as tentativas de eu subir na vida não estão adiantando em nada.
Vamos começar por partes, primeiramente relacionamento, nunca consegui engatar um namoro já tive algumas ficantes de curto e médio prazo e nenhuma me satisfez (amar de verdade) ou sempre encontro uma garota mais problemática do que eu, a última mal tínhamos conversas pq não conseguíamos ter assuntos e era uma garota muito fechada. Isso me entristece pq eu estou sempre procurando alguém para namorar e casar e não estou conseguindo achar, anos estão passando, estou ficando velho e não consigo encontrar ao menos um relacionamento. Utilizo vários apps como tinder, once, badoo e entre outros e parece que a minha beleza tbm não ajuda muito apesar de eu me considerar uma pessoal normal (nem bonito mas tbm nem feio).
Segundo, profissão..me formei em engenharia final do ano passado, tenho emprego e agradeço a deus por ter esse emprego mas é um trabalho diferente do que eu me formei, luto muito na empresa para conseguir promoções que chegue na área q eu realmente estudei e nada acontece, a desvalorização é absurda sobre minha pessoa e as pessoas me vêm como um mero secretário, sendo que eu tenho um potencial grande, demonstro isso e sou muito bom no q faço atualmente, sendo q ganho elogios as vezes, mas meu chefe me blinda e desvaloriza logo quando penso em promoção ou migrar para outra área. Estou caçando emprego q nem um louco mas nunca recebi um telefonema ou uma oportunidade de entrevista, o salário q ganho nessa empresa é muito pouco e sou obrigado a morar com meus pais, isso nos leva ao próximo problema.
Viver com os pais com essa idade em grande maioria é bem chato pq vc não tem liberdade nenhuma, meus pais são muito rígidos e eu não posso levar garotas pra casa nem nada, as vezes escuto piadas de q eu não arranjei nenhuma pessoa até agora e fora q meu pai nunca me deu nada, vive devendo deus e o mundo e o pouco q tenho eu ajudo ele com grana, sempre meus pais brigam e discutem e eu sempre fico no meio dessa guerra e acabo sofrendo com ela dos dois lados pq ambos descontam em mim de vez em quando.
Enfim isso é um resumo dos meus problemas, já pensei em me suicidar algumas vezes mas acho q não tenho coragem para isso. Eu sonho muito e rezo para q eu ganhe alguma oportunidade de emprego fora da aonde eu moro para que eu possa sair daqui e dar um reboot na minha vida, essa pandemia de merda só atrasou meus planos e isso tem me deixado extremamente depressivo pq eu vou ter que aguentar mais meses passando por esse inferno todos os dias.... dentro de casa e no meu trabalho são derrotas diárias, quando penso em me confortar eu não tenho ninguém ao meu lado.
submitted by snakexdx to desabafo [link] [comments]


2020.05.22 18:15 dentinho_top Sou babaca por preferir morar com minha irmã e odiar minha mãe?

Bem vou falar um pouco de antigamente para criar o contexto ok. Moramos eu, meu pai, minha mãe e minha irmã tudo junto, e minha mãe sempre briga com nós (claro qe as vezes é normal mas as vezes nao) ela acaba brigando com nós por motivos bobos e as vezes até sem nada ter acontecido, quando isso chega a um nível de ter qe chamar minha vó (mãe dela) é não estamos conseguindo acalmar ela, sempre quando chamamos minha vó para ve se consegue acalmar ela minha vó simplesmente passa a mão na cabeça dela falando qe ela está certa e tals. Como minha vó fez isso a vida inteira minha mãe acabou ficando "mimada" no quesito de "eu quero isso é ponto final" e as vezes é difícil de viver junto dela pq não podemos fazer nada qe queremos sem ela tbm querer.
(Isso foi na segunda a tarde)Bem agora qe contei um pouco vou começar a falar, como ja disse moramos tudo juntos e so trabalha meu pai e minha irmã, minha irmã tem 20 anos e trabalha em uma empresa de frango, la ela conheceu um rapaz e foram se conhecendo e tals até eles criarem um laço de amor, eles começaram a namorar escondido (até pq minha mãe nunca aceitou nenhum namorado da minha irmã mesmo ela ja sendo de maior) então eles foram namorando e um dia eles descuidaram naquela hora e tals e parece qe ela está grávida, então o menino foi em casa se apresentou, falou onde trabalha, fez faculdade e o mais importante falou qe ama minha irmã e quer assumir a criança. Meu pai concordou aceitou o namoro e falou que se precisar de ajuda ele está aqui, minha mãe tbm aceitou na hora mas ficou falando que esta a decepcionada com minha irmã (até que por um lado eu concordo por ela ficar assim pq deve ser um baita de susto descobrir) quando o menino foi embora e meu pai foi trabalhar descidimos ir na casa da minha vó (mãe dela) quando estávamos chegando la minha mãe simplesmente mudou de jeito e começou a falar novamente qe estava decepcionada, perguntava pq não tinha contado, se ela era um monstro e tals. Quando chegamos na casa da minha vó ela começou a chorar falando qe minha irmã tinha feito burrada qe ela ia parar de estudar (em nenhum momento minha irmã falou isso) qe essa criança ia ser uma aberração e mais um monte de baboseiras, minha vó como sempre passou a mão na cabeça e conseguiu acalmar ela e depois de um tempo nos três fomos embora, chegando em casa ela virou de face de calma ela virou para brava, ela começo começo fazer as mesmas perguntas novamente começou começou querer bater na minha irmã e até tentou se matar, nessa hora eu liguei para minha vó para nós ajudar então desceu ela minha tia e meu tio para ajudar, quando chegaram aqui ela fingiu que estava com as coisas no corpo falava que nós tínhamos machucado ela qe ela ia se matar, daí todo mundo tentou ajudar ela a se levantar mas ela não se ajudava e ficava se jogando no chão ou ficava enfrentando minha tia (sendo qe a mesma tem pavil curto) até que em um momento de briga briga elas começaram a se bater e tivemos que tentar separar, com esse briga briga minha tia e meu tio foram embora por causa da raiva deixando apenas minha vo, minha mãe fazendo o seu Teatro igual como faz sempre fingiu que tomou um remédio falando que ia se matar, como ela ja fingiu fazer isso várias vezes nem nos importamos, minha vó subiu para a casa dela e tivemos qe entrar. Eu e minha urma dormimos no mesmo quarto então estávamos juntas, minha mãe foi no nosso quarto fingiu estar grogue(realmente tava para perceber qe era fingimento) e depois de tava falacao ela foi sentou na cama da minha irmã e simplesmente começou a apertar a barrigada da minha irmã para ela perde a criança, quando ela apertava minha mãe falava assim "-Você vai perde essa criança e não vai precisar casar com aquele cara", minha irmã percebendo a situação tentou se defender e eu tive que intervir no meio(o que não adiantou nada ja que ela tem 80kg e eu simplesmente tenho 14 anos e uns 54kg) então minha irmã simplesmente gritou falando para eu ir na vizinha pedir ajuda, e eu fui correndo pedir ajuda, quando os vizinhos me atenderam foram até minhba casa e tiraram minha irmã de lá, eu levei ela até na casa da minha vó pedindo ajuda pois minha irmã chorava de dor na barriga, enquanto os vizinhos ficaram na casa com minha mãe. Quando chegamos na casa da minha vó meus tios levaram ela pro hospital e fiquei com meus avôs, até que não demorou muito ela chegou irritada me chamando para ir embora, eu apavorada falava qe não e meus avós tentava acalmar ela é me acalmar, não demorou muito e minha irmã chegou um pouco mais calma junto com meus tios, e minha mãe ja foi logo de unha e dente reclamar pq levaram ela pro hospital e novamente eles começaram a brigar, meu avô tem asma e começou a passar mal e eu tive qe ajudar ele a fazer inalação ou se não teríamos qe ir no hospital novamente, quando finalmente ela desceu embora minha vó arrumou um colchão para nós dormir ja qe era uma base de 10 da noite, mas quando pensávamos qe tudo tinha acabado estávamos erradas pq novamente ela subiu falando para irmos embora se não iríamos chamar o meu pai (o mesmo ja sabia de tudo mas não podia ir la ja que estava na roça) quando falávamos que não íamos ela saía e descia embora é não demorava 20minutos ela voltava falando a mesma coisa, ela fez isso umas 4 vezes e falava a mesma coisa, até qe resolvemos ir pq se não meu vô novamente iria passar mal, quando chegamos fomos para nosso quarto e ficamos juntas, minha mãe ao invés de se acalmar não ela começou a preprarar um monte de chá abortivo para minha irmã tomar, eu queria muito pode intervir mas não podia fazer nada então eu via minha irmã tomando contra sua vontade e vomitando, quando ela tomou tudo nesse meio tempo ja era umas 04 da manhã e meu pai ainda não tinha chegado, não dormimos por medo dela fazer algo a mais e esperamos meu pai chegar. Quando foi 06 da manhã meu pai chegou e foi tomar banho ( ele ja sabia oq tinha acontecido ja qe eu avisei ele) então como ja estava amanhecendo minha mãe faoou para minha irmã se arrumar para ir no hospital fazer o teste de gravidez, então nos arrumamos e fomos nos quatro, quando chegamos eu e meu pai ficamos no carro(ja que estávamos sem máscara) e as duas foram, assim qe elas sumiram de vista contei tudo para meu pai e ele apoiou nos e falou qe se ela não mudasse o jeito de pensar ela ficaria sem ninguém. Quando elas voltaram fomos para a casa é novamente fomos para o quarto, meu pai foi no banheiro e minha mãe achando que ele tinha saído entrou no quarto com um pau de vassoura e fechou nosso quarto(nossa porta não tranca então ela so enconstou) ela foi seca para bater na minha irmã e eu falava assim "-para que esse pau mãe? Pra que vc trouxe o pau?" Para alertar meu pai e nos ajudar, então quando minha mãe deu a primeira paulada na minha irmã meu pai entrou no quarto e entrou na frente (ele nunca bateu na minha mãe apenas entra na frente e deixa ela bater nele) então minha irmã com medo resolveu arrumar suas coisas, ela pegou sua cobertar e abriu ela é colocou um monte de roupas, amarramos ela e fomos pegar suas bolsas, meu pai conseguiu tirar ela até na sala oq foi bom ja que podíamos sair do quarto, minha irmã então olhou para meu pai e pediu chorando se podia sair de casa, meu pai simplesmente falou um sim, então foi eu e minha irmã com as roupas, subimos na casa da minha vó mas nos escondemos na casa da vizinha (na qual ela nunca saberia) a vizinha na hora deixou nos entrar e nos acalmou. Não demorou muito e minha mãe apareceu na casa da minha vó procurando nós é começou a xingar, gritar, brigar e foi literalmente o dia inteiro assim quando não brigava na casa da minha vó ia na casa do menino xingar ele. No outro dia(quarta-feira dia 20 agora) fomos na casa da minha vó pois como yenho 14 anos sou de menor e minha mãe tinha chamado o Conselho tutelar, comemos um pouco e fomos para o Conselho, quando chegamos estava minha mãe e meu pai e sentamos eu minha irmã e minha vó, começamos a discutir e a falar e no final não resolveu em nada. Então fomos embora, chegando la na casa da minha vó novamente deu a briga e meu vô a passar mal, eu simplesmente comecei a gritar com minha mãe pois meu vô começou a chorar ( e eu nunca vi ele chorar e isso realmente fez meus nervos subirem em um nível qe eu nunca vi) enquanto eu afastava ela do meu vô minha tia insistia nele ir no médico ver a pressão dele e a diabete dele. Até que ele aceitou e foi meu tio eu minha irmã e ele. Quando chegamos la ele novamente chorou enquanto média a pessao e a diabete dele, sua pressão não estava muito alta mas sua diabete estava a 290 (um nível muito alto mesmo), quando voltamos ela ainjda estava la brigando, e quando ela viu como estava a diabete do meu vô começou a falar que era por causa de bala( meu vô chupa e tals mas ele sabe quando pode e quando não pode) em momento nenhum ela pensou qe ela estava matando meu vô aos poucos. Até que por um milagre ela conseguiu se acalmar e tudo acalmou então almoçamos(menos ela) e descansamos, mas ela continuava a fala para irmos embora é tivemos que ir. Chegando la ela ficava perguntando aonde tínhamos dormido e eu falava que foi na casa de uma amiga chamada Júlia de outra cidade (ja qe eu não podia falar que foi na vizinha se não iria ser pior) e ela passou o dia inteiro fazendo as mesmas perguntas, chorando ou fingindo, pegou meu celular e ligou para um monte de Júlia até que em um momento ela bebeu veneno que fica na dispensa do meu pai e começou a falar qe estava com dor de cabeça. Então preocupadas tivemos qe chamar minhha tia para levar ela pro hospital ja que meu país estava trabalhando a noite. Chegamos la apareceu todo mundo meus avós, minha tias e meus tios, ela chegou ficou la até na Quinta feira dia 21, eu e minha irmã dormimos na casa da minha vó e quando acordamos ela ja estava la, aparentemente mais calma, então nos almoçamos depois e descemos em casa, ela estava mais calma e fingia qe não se lembrava de nada, chegou a noite e eu resolvi não dormi ja que eu tinha medo dessa "onda de calmaria" passase e ela tentasse fazer algo novamente, então eu e minha irmã revezamos o sono, eu fiquei até umas 03 da manhã eh minha irmã o resto. E aqui estou na sexta feira com ela um pouco calma mas esperta ainda, minha irmã está com marca roxa na barriga e eu saí sem marca roxa mas meu psicológico está totalmente acabado, estou com medo de dormi aqui em casa e com medo dela, sei que tudo bem ela ficar magoada por causa do namoro mas acho qe ela não tinha capacidade de fazer oq ela fez.
Então, eu sou babaca por preferir morar com minha irmã(se ela me convidar) e ter ódio da minha mãe por ela ser assim tão mimada a um nível qe ela irá ficar sozinha?
¤desculpe se ficou grande é pq foi literalmente 4 dias acontecendo isso e eu precisava saber. Se vcs quiserem que eu continue informando vcs me falem pois eu ainda acho que essa calmaria dela vai ter um fim e irá começar novamente a mesma coisa...¤
submitted by dentinho_top to TurmaFeira [link] [comments]


Sonhar com a vida sentimental ou amorosa  Profeta ... Namoro no trabalho. Pode? K-IDOLS QUE SAÍRAM DE SEUS GRUPOS/EMPRESAS POR NAMORAR  Sofredora K-popper ❤ Empregabilidade Blindada - Namoro na Empresa A IMPORTÂNCIA DE FICAR DE BOCA FECHADA  Nando ... - YouTube Erkenci Kuş 25 - Can e Sanem assumem seu namoro pra ... Pai de Anitta ASSUMΞ NAMORO com Administradora de Empresas e Surpreende a todos 12 Dicas Para Arranjar Uma Namorada - YouTube Como Ter Uma Mente Inabalável - Palestra Motivacional Para ... FALEI A VERDADE SOBRE NAMORAR UMA JAPONESA! (JAPÃO)

100+ Melhores Ideias de pedidos de namoro surpresas para ...

  1. Sonhar com a vida sentimental ou amorosa Profeta ...
  2. Namoro no trabalho. Pode?
  3. K-IDOLS QUE SAÍRAM DE SEUS GRUPOS/EMPRESAS POR NAMORAR Sofredora K-popper
  4. ❤ Empregabilidade Blindada - Namoro na Empresa
  5. A IMPORTÂNCIA DE FICAR DE BOCA FECHADA Nando ... - YouTube
  6. Erkenci Kuş 25 - Can e Sanem assumem seu namoro pra ...
  7. Pai de Anitta ASSUMΞ NAMORO com Administradora de Empresas e Surpreende a todos
  8. 12 Dicas Para Arranjar Uma Namorada - YouTube
  9. Como Ter Uma Mente Inabalável - Palestra Motivacional Para ...
  10. FALEI A VERDADE SOBRE NAMORAR UMA JAPONESA! (JAPÃO)

OUÇA OS NOSSOS PODCASTS SOBRE O JAPÃO https://diaadia.jp/radio/ CONHEÇA O SITE DIA A DIA https://pst.cr/BT8Hg FALEI A VERDADE SOBRE NAMORAR UMA JAPONES... A primeira pergunta é: 'a empresa permite o namoro?' e a resposta já definirá várias escolhas. Se a resposta for 'sim', vale atentar para alguns cuidados: uso das redes internas para assuntos ... Pai de Anitta está Namorando, isso mesmo Mauro Machado está namorando com a Administradora de Empresa, a Então Jessica Alves, confira todos os detalhes vendo... Enjoy the videos and music you love, upload original content, and share it all with friends, family, and the world on YouTube. Informações Escola de Profetas em SP . Contato: [email protected] ou watss +55 (0xx55) 996113280 . Quer ser usado nos dons espirituais? Deseja conhecer seu ch... Nando Pinheiro a voz da motivação, confira neste canal vídeos de motivação, reflexão, auto ajuda, deixe seu comentário, inscreva-se no canal https://goo.gl... Descubra como alavancar a sua empresa através do Método 8Ps: http://bit.ly/imersao-8Ps ===== Relatório GRATUITO sobre Como Vender Pelo WhatsApp - c... Como arranjar uma namorada. Você é um cara solteiro que está a fim de mudar esse status? Tem poucas amigas porque não sabe como conversar com mulheres, mas q... Programa Empregabilidade Blindada na Rádio Exclusiva FM. A Origem e o Problema do Mal - Augustus Nicodemus, Leandro Lima e Heber Campos Jr. - Duration: 26:29. Centro Presbiteriano de Pós ... AS PREVISÕES PRO KPOP 2019 (NAMORO GAY, DISBAND? ETC...) Sofredora K-popper - Duration: 23:32. Sofredora K-popper 176,159 views. 23:32.